terça-feira, 8 de novembro de 2016

Hillary chega ao dia das eleições com vantagem nos EUA

REUTERS/Carlos Barria

A candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, levou a melhor nas últimas pesquisas de intenção de voto antes da eleição desta terça (8) e é apontada como favorita na corrida pela Casa Branca; a vantagem de Clinton sobre o republicano Donald Trum, no entanto, ainda é vista como frágil por muitos analistas; números da Reuters/Ipsos, porém, dizem que há 90% de probabilidade de vitória da candidata e dizem que só uma grande "reviravolta" levaria a uma "virada" expressiva de Trump

247 e Agência Reuters - A candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, levou a melhor nas últimas pesquisas de intenção de voto antes da eleição desta terça (8) e é apontada como favorita na corrida pela Casa Branca. A vantagem de Clinton sobre o republicano Donald Trum, no entanto, ainda é vista como frágil por muitos analistas. 

O resultado mais favorável para a democrata foi da última pesquisa do Projeto Estados da Nação, da Reuters/Ipsos, que indica que Hillary tem cerca de 90 por cento de chances de derrotar Trump.

De acordo com o pleito, uma eventual virada de Trump no dia da eleição depende de uma improvável combinação de reviravoltas de eleitores brancos, negros e hispânicos em seis ou sete Estados, de acordo com a pesquisa divulgada nesta segunda-feira.

A ex-secretária de Estado tinha vantagem de 45 por cento, ante 42 por cento de Trump no voto popular, e estava a caminho de obter 303 votos no Colégio Eleitoral, ante os 235 de Trump, chegando aos 270 necessários para a vitória, descobriu a pesquisa.

As chances de Trump estão em sua performance na Flórida, Michigan, Carolina do Norte e Ohio, que tinham a disputa ainda muita acirrada para que se pudesse prever uma definição no domingo, quando a pesquisa foi encerrada, e na Pensilvânia, onde Hillary tem uma pequena vantagem de 3 pontos percentuais. Para que Trump vença, ele precisa vencer na maioria desses Estados.

Qualquer combinação de duas perdas nos três Estados da Flórida, Michigan e Pensilvânia, praticamente garantiria a vitória a Hillary. Ao mesmo tempo, Trump precisa conseguir a vitória no Arizona, Estado tradicionalmente republicano, em que a corrida eleitoral está apertada, e esperar que o candidato independente Evan McMullin não vença em outro baluarte republicano, Utah.

Para vencer, Trump precisa de um resultado maior entre os eleitores republicanos brancos do que a que se materializou em 2012, uma queda no número de eleitores afroamericanos e um aumento menor que o previsto no número de eleitores hispânicos, mostrou a projeção.

O Projeto Estados da Nação é um levantamento feito junto a 15 mil pessoas todas as semanas nos 50 Estados norte-americanos, mais a capital Washington D.C..

Nenhum comentário:

Postar um comentário