sexta-feira, 3 de julho de 2015

Gil Lopes destaca importantes eventos realizados em Barra do Corda sobre meio ambiente



Barra do Corda - O Presidente da Câmara Municipal de Barra do Corda, Gil Lopes (SD) enalteceu os importantes eventos ocorridos nos últimos dias em Barra do Corda que tratam de questões ambientais e se posicionou contrário a construção de uma barragem na cidade. 

"Não tivemos como falar na Sessão anterior sobre a 1ª Conferência Municipal de Meio Ambiente que foi realizada em Barra do Corda depois de 180 anos, e com isso parabenizar o secretário Zé Americano por tal iniciativa e dizer que o prefeito mostra que age de forma democrática. Na Conferência estiveram presentes vários ambientalistas como Josean, Enio, Promotor Dr. Tharles, representante da polícia e representante da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Como alerta cito que nas saídas de nossa cidade tanto para  Fernando Falcão, Presidente Dutra e Grajaú as pessoas estão jogando lixo em locais impróprios e desta forma prejudicando nosso meio ambiente. Parabenizar os alunos do IFMA que participaram de um momento ímpar", disse.

Gil também se pronunciou sobre uma audiência realizada no último sábado (27), para tratar da construção de uma hidrelétrica e entende que a mesma trará prejuízos para a população. "Ouvimos os depoimentos de algumas pessoas da cidade, presidente do STTR e moradores ribeirinhos para debater sobre o assunto e pudemos sentir o clamor daqueles que irão sentir os danos causados pelo impacto ambiental com essa construção. Sabemos que precisamos de indústrias que se instalem aqui mas é preciso analisar o resultado de tudo isso. Hoje temos carvoeiras que se beneficiam de nossas áreas e depois da devastação vão embora. Os danos, as consequências, não será os ganhos com o ISS, temos de pensar nas pessoas que tem suas propriedades, pescadores, criadores e os danos na saúde com o mosquito transmissor da malária. Nosso pedido é de que a empresa faça uma audiência com a sociedade aqui nesta casa legislativa que tem acompanhamento da imprensa, pois precisamos discutir com pequenos lavradores. Disseram que enviaram convite para os vereadores, mas eu quero que seja discutido com a sociedade, precisamos de um técnico ambientalista para discutir junto conosco. Respeito a posição dos que apoiam, mas não concordo com essas questões prejudiciais", concluiu.

Após manobra do presidente, Câmara aprova redução da maioridade penal em 1º turno

Deputados defensores da redução da maioridade penal comemoram aprovação da medida no plenário da Câmara

A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira (2), em primeiro turno, a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, para homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. O texto "mais brando" votado nesta sessão foi considerado uma "pedalada regimental" do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para reverter a rejeição da proposta no dia anterior.

Na nova sessão, 323 deputados foram a favor, 155 deputados votaram contra a redução e houve ainda 2 abstenções. O texto ainda precisa passar pelo segundo turno de votação na Casa antes de ir para o Senado.

 
Na madrugada de quarta, outro texto que propunha a redução da maioridade foi rejeitado pelos deputados por cinco votos - são necessários 308 votos para a aprovação de PEC (Proposta de Emenda Constitucional), e apenas 303 haviam sido favoráveis.

O texto aprovado na sessão desta quinta prevê a redução da maioridade para 16 anos para jovens que cometerem crimes hediondos, como sequestro e estupro, homicídio doloso (com intenção de matar) ou lesão corporal seguida de morte. A diferença em relação ao texto derrotado na sessão anterior foi a retirada de tráfico de drogas, de terrorismo e de roubo qualificado do rol de crimes que fariam o jovem responder como um adulto.

A emenda aglutinativa foi acordada entre PMDB, líderes da oposição e deputados favoráveis à redução da maioridade penal, e sofreu críticas do PT, PC do B e PSOL, que classificaram como uma "pedalada regimental" de Cunha para ter sua vontade atendida.

Nas falas que defendiam a redução da maioridade penal, diversos deputados chamavam o "clamor das ruas" para justificar a aprovação do texto. Cerca de 87% dos brasileiros apoiam a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, segundo pesquisa de opinião feita pelo Datafolha no último dia 22 de junho.

Após tensão, sessão sem público

A votação da redução da maioridade penal na noite de terça foi acompanhada por intensos protestos a favor e contra a PEC. A polícia legislativa chegou a fazer uso de gás de pimenta para dispersar manifestantes que tentavam entrar na Câmara.

A sessão, que durou mais de quatro horas, teve presença de dezenas de estudantes contrários à redução da maioridade penal e que comemoram a rejeição do texto substitutivo.

Nesta quarta-feira, as galerias não foram abertas para a entrada de manifestantes. A votação da emenda aglutinativa começou por volta da meia-noite e durou cerca de 45 minutos. Nesse período, o presidente da Câmara foi visto muitas vezes ao celular e foi acusado de estar convocando deputados à votação por telefone.

"Sua vitória não é uma vitória moral, é uma vitória matemática", criticou Silvio Costa (PSC-PE). "Vossa Excelência usou o tempo que quis", reclamou o parlamentar antes de ter o microfone cortado.

Próximos passos

O texto que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos (PEC 171/93) ainda deve passar por uma segunda votação na Câmara dos Deputados e por duas votações no Senado para que a Constituição seja alterada.

UOL

Assaltantes morrem em confronto com a polícia em frente ao Shopping da Ilha

Dois assaltantes, ainda não identificados, morreram em confronto com policiais da ROTAM em frente ao Shopping da Ilha, na noite desta quinta-feira(2).

Pelas informações, eles roubaram um veículo nas proximidades do Barramar, na Avenida dos Holandeses, e foram alcançados na Avenida Daniel de La Touche, nas proximidades do Shopping da Ilha, no Maranhão Novo.

Os ladrões acabaram batendo o carro, e, na fuga, invadiram uma residência na Rua D e trocaram tiros com os policiais que revidaram e balearam os suspeitos.

 
Os dois assaltantes foram levados para o Hospital Djalma Marques (Socorrão I), no Centro, mas não resistiram aos ferimentos.

Com a dupla, os policiais apreenderam, além do veículo roubado, uma pistola SIG Sauer P229, numeração AA10958.
 

 
Gilberto Lima

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Mais Bolsa Família Escola é oficializado com presença da ministra do Desenvolvimento Social


O Governo do Estado oficializou o ‘Mais Bolsa Família Escola’ ao assinar, na manhã desta quinta-feira (2), o decreto que regulamenta o Cartão Material Escolar para beneficiários do Bolsa Família no Maranhão. Com recursos do Governo do Estado, beneficiários que possuam na família crianças entre 4 e 17 anos terão direito a R$ 46, por membro em idade escolar, para a compra de material para uso escolar. O investimento total será de R$ 72 milhões por ano.

Configurando o leque de investimentos do Governo do Estado em Educação na nova gestão, o Programa Mais Bolsa Família Escola “devolve aos jovens maranhenses o direito de sonhar”, nas palavras do governador Flávio Dino. A medida foi inaugurada um dia após a aprovação parcial da redução da maioridade penal pela Câmara Federal, motivo pelo qual o governador frisou, “nós acreditamos na juventude do Maranhão e por isso optamos por educar e oferecer soluções para inclusão social. Para que as crianças e jovens se sintam valorizados, dando a muitos deles o direito de ter um bom calçado para ir à escola ou colorir o seu caderno pela primeira vez”, disse.


Presente na solenidade, Tereza Campello (ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) avaliou positivamente a iniciativa do Estado como ação que valoriza a educação, gera renda e promove o desenvolvimento econômico nos municípios. “Esta ação complementa as iniciativas federais, cumpre com a meta de fortalecer a Educação e, principalmente, realiza o sonhos dos pais de terem os seus filhos na escola, valorizados e felizes”, enfatizou a ministra.

Com o Programa, 1.476.000 alunos com idade entre 04 e 17 anos serão beneficiados, o que significa aplicação de R$ 72 milhões, por ano, feitos pelo Governo do Estado com recursos próprios e será conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). O investimento virá do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza (Fumacop).

Como vai funcionar?

Responsável pela Sedes, o secretário Neto Evangelista explicou como funcionará a transferência e os passos já avançados nos primeiros meses de gestão. Através de um cartão magnético tipo débito, as famílias beneficiárias do Bolsa Família do Governo Federal poderão realizar compras em lojas e comércios autorizados em seus próprios municípios para a venda de material escolar.

O cadastro das lojas já começa a ser feito pela Sedes, que também articula, junto a entidades bancárias e da sociedade civil, a disponibilização da tecnologia de compra pelo cartão de débito a estabelecimentos localizados em cidades que ainda não possuem essa tecnologia.


Neto Evangelista explica ainda que o objetivo da disponibilização de cartão magnético para compra direta pela família “visa estimular a circulação de renda nas próprias cidades, que terão suas economias fortalecidas com o incremento do poder de compra das famílias em produtos de uso escolar e ativação mais forte do comércio local”. O programa é oriundo de projeto de lei enviado em janeiro pelo Executivo à Assembleia Legislativa, que o aprovou em março de 2015.

Secretários de Estado, parlamentares, representantes da Prefeitura de São Luís e técnicos da Assistência Social marcaram presença no lançamento do Programa Mais Bolsa Família Escola. Entre eles, o senador Roberto Rocha e os deputados Zé Carlos, Levi Pontes e Edson Araújo, além dos secretários estaduais Marcelo Tavares (Casa Civil), Márcio Jerry (Articulação Política), Adelmo Soares (Agricultura Familiar), Laurinda Pinto (Mulher) e Ted Lago (Emap). Representando a prefeitura, Lula Fylho (Governo) e Geraldo Castro (Educação).

Polícia Militar de Barra do Corda apreende a segunda arma somente nesta semana

Desta vez foi apreendido um revólver Taurus Cal .32, com 05 cinco munições intactas. O fato ocorreu na madrugada desta quarta-feira, 02 de julho, em um bar no bairro Altamira. José Batista da Silva foi abordado pela guarnição da viatura RP01, composta pelo 1° Sgt Hairton e Cabos  Lima Filho e Lima.


Ao revista-lo encontraram a arma, dando-lhe, em seguida, voz de prisão por porte ilegal de arma de fogo. O mesmo foi conduzido à Delegacia para a tomada das providências cabíveis.


“Está é a segunda arma apreendida somente nesta semana, graças as abordagens que estão sendo realizadas constantemente, em dias, horários e locais diversos, pois, trabalhamos com planejamento, sempre observando os pontos mais vulneráveis e propensos às práticas delituosas, para combater o crime e garantir a segurança da população cordina”, declara o tenente – coronel Eriverton, reafirmando o compromisso e dedicação dos policiais do 5º Batalhão em promover segurança pública.

 Redação: Sd. PM Alessandro

Pacto fortalece ensino médio e provoca reviravolta no Maranhão

 
  
Orientadores da URE ( Unidade Regional de Educação) de Barra do Corda que tem a frente a gestora Eva Nunes  se Destacaram na formação do PNEM Pacto Nacional pelo fortalecimento do ensino médio em São Luis.
 
Barra do Corda, município maranhense de 90 mil habitantes a 460 km de São Luís, três das seis escolas públicas do ensino médio estão enfrentando um problema inédito: a pressão da lista de espera de alunos pela matrícula. Enquanto isso, as escolas privadas da cidade lutam para sobreviver.
 
Essa reviravolta recente se deve à melhoria do atendimento, da gestão pedagógica e da qualidade do ensino da rede, que foi reforçada pelo Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio (Pnem). Desde que o Pacto passou a trabalhar a formação continuada dos docentes desse nível de ensino, os professores modernizaram suas práticas pedagógicas, as aulas se tornaram mais estimulantes, os alunos ficaram mais motivados e a boa fama das escolas se espalhou pela cidade. 

“O Pacto trouxe uma sistematização do ensino e do estudo, com a presença de coordenadores pedagógicos dentro das escolas, cadernos de formação muito bons, o que provocou uma verdadeira mudança na postura e no olhar dos professores e dos alunos”, diz Lindalva Maciel, professora da Universidade Federal do Maranhão e coordenadora-geral do Pnem no estado.
Continue lendo...