.

.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Flávio Dino garante que início da construção da MA-012 começa por Barra do corda


O sonho de muitas gerações está prestes a ser realizado. As obras da MA-012 será iniciada em breve partindo de Barra do Corda sentido São Raimundo do Doca Bezerra. 

Segundo o presidente da câmara municipal de Barra do Corda, Gil Lopes, durante conversa com o  Governador Flávio Dino (foto acima) na última quinta-feira (23), na cidade de Itaipava do Grajaú, recebeu a confirmação de que os serviços da MA-012 começará por Barra do Corda. O vereador relatou justificativas das vantagens dessa obra ter seu inicio na cidade cordina. 

Para Gil, além de ser uma cidade importante Barra do Corda tem os rios Cordas e Mearim que será útil para a empresa que fará a obra. Tendo também os povoados Montividéu e São José do Mearim, próximos ao rio Mearim.

Com essa tão sonhada estrada será possível as comunidades rurais que dependem da mesma, voltarem a  ter boas produções, melhorar a economia local e gerar desenvolvimento para a região centro-sul do estado. 

O governador Flávio Dino estará segunda-feira (27), para inaugurar importantes obras na cidade de  Barra do Corda, oportunidade em que falará dos detalhes finais para o começo da construção do rodovia MA-012.

Participe do Aniversário Paraíba que começa nesta segunda-feira (27)


O aniversário Paraíba começa nesta segunda-feira (27), com promoções em todos os setores da loja, onde serão "DEZ HORAS DE PREÇOS BAIXOS".

Tudo em Confecções, Calçados, Móveis e Eletrodomésticos com Super descontos e preços baixo de verdade!

E não para por aí! Vejam essa! Toda linha de celular parcelado em 1+5 sem juros no Cartão Paraíba "No preço a vista".


E tem mais... A cada R$ 50,00 (Cinquenta Reais), em comparas você vai ganhar cupons em dobro para participar do sorteio de "Meio Milhão de Reais em Compras", da campanha do Aniversário Paraíba 2016.

Não perca a promoção de abertura do Aniversário Paraíba "DEZ HORAS DE PREÇOS BAIXOS". Promoção em todos os setores da loja, tudo barato a partir das 7:00hs até às 19:00hs. É nesta segunda-feira. Vai lá!

Armazém Paraíba, todos os tons da alegria!

Prefeita de São Raimundo do Doca Bezerra, Arlene Uchôa pode ter o mandato cassado

Arlene-perfil-260x310
Prefeita de São Raimundo do Doca Bezerra, Arlene Uchôa

Uma Ação Civil por ato de improbidade administrativa movida pelo Ministério Publico do Estado do Maranhão, prevê a cassação do mandato da Prefeita de São Raimundo do Doca Bezerra, Arlene Uchôa. A ação também é movida contra funcionários da comissão de licitação.

O processo foi aberto na comarca de Esperantinópolis no dia 15 de fevereiro de 2016, se caso condenada pela ação, a lei prevê para a Prefeita Arlene Uchôa, a perda da função pública, ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio.

Informações de Fernando Ramos

Vereador de Bernardo do Mearim é baleado durante assalto

https://1.bp.blogspot.com/-dLZr-cufn1M/V20zLRNGwnI/AAAAAAAAtRY/3JYpEseAwHsonEvXySnhuJnPdg027RGOwCLcB/s1600/


O presidente da Câmara de Bernardo do Mearim, cidade que fica a 307 km de São Luís, vereador Osvaldo (PP), 49 anos, foi vítima de tentativa de latrocínio na noite desta quinta-feira (23).

Segundo informações, o vereador retornava da zona rural, onde cumpriu agenda política ao lado da prefeita Eudina, quando foi abordado por elementos que anunciaram voz de assalto. O vereador tentou reagir e foi alvejado com um tiro na mão. O parlamentar teve a moto roubada.

Osvaldo foi levado a um hospital e passa bem.

Informações de Djalma Silva

Política de esportes - Artigo de Pedro Cardoso da Costa



É tão difícil defender políticas de esporte quanto é fácil o inverso e fazer da fome uma justificativa para a ausência de ações efetivas em outras áreas da administração pública da União, dos estados e dos municípios.

Até há uns 50 anos, passar fome ou necessidade financeira era uma situação atribuída exclusivamente ao indivíduo; ou a pessoa era considerada preguiçosa ou sem iniciativa; por um motivo ou outro, era censurada pela sociedade. Também poderia ser ou depressiva ou portadora de outra doença. A responsabilidade era somente individual. 

Com o passar do tempo houve mudanças e hoje há situações em que a pessoa é responsabilizada, mas prevalece o entendimento de que algumas situações ultrapassam a questão meramente da pessoa e o fato passa a ser de responsabilidade coletiva.  

De uma forma ou de outra, nos denominados países pobres, sem infraestrutura adequada, a discussão fica restrita à comida no prato. No Brasil não é diferente. Por isso, torna-se impossível cobrar ações das autoridades no sentido de criarem espaços para a prática regular de qualquer esporte, exatamente porque quase tudo o que se fala neste país relaciona-se à falta de comida. Mas a população não quer só comida...

Dos quase seis mil municípios, poucos têm uma quadra poliesportiva adequada à prática de três esportes diferentes. Não é razoável pensar em convencer um prefeito ou uma câmara municipal a construir um ginásio poliesportivo. Cientes dessas dificuldades, as pessoas nem tentam e se omitem totalmente.

Essa falta de compromisso com políticas de esporte ocorre nos governos municipais, estaduais e federal. Mas quando questionadas, as autoridades citam inúmeros projetos que atendem milhões de pessoas. Sabem que ninguém acredita, mas repetem à exaustão. 

Iniciativas simples, como torneios de dama, de xadrez deveriam partir das próprias  entidades sociais, dos sindicatos, das igrejas, dos condomínios e de outras instituições, mas só se consolidariam de forma abrangente e definitiva com políticas governamentais. 

As cidades pequenas deveriam priorizar um esporte e organizar um torneio semelhante aos de tênis, com troféus e com uma simbólica recompensa financeira. Poderiam se organizar entre dez ou mais cidades para que cada uma fizesse um torneio de um esporte específico. Um município realizaria uma competição de vôlei, outro de basquete, de tênis, de natação e assim com outros esportes. Facilitaria a participação de atletas de outros municípios. 

A cada três ou quatro anos, os municípios com mais de cem mil habitantes promoveriam eventos esportivos mais amplos, com nome de miniolimpíada ou de jogos abertos, a exemplo dos realizados no interior de São Paulo.

Como ainda prevalece a cultura da lei para tudo por aqui, para ajudar a fomentar a prática de esportes, o governo federal e/ou os governos estaduais deveriam criar normas prevendo a realização de atividades esportivas anuais em cada escola, sem exceção.

Estruturas físicas ideais viriam com a prática contínua. De início, valeria o improviso. Poderiam espelhar-se no futebol, que tem sua própria estrutura organizacional com torneios, campeonatos e tudo mais, com ou sem rede, com ou sem árbitro uniformizado. No vôlei, a falta de rede seria substituída por uma corda. Uma cal resolveria a demarcação da quadra. Um leigo que entendesse um pouco superaria tranquilamente a falta de um árbitro. 

Da mesma maneira que todo vilarejo possui sua igreja, poderia se empenhar para a construção de uma quadra. As condições só surgirão com consciência, iniciativa e empenho.
Também há a necessidade de perseverança nas ações, para que os jovens não desistam no início. Seria necessário conscientizá-los dos benefícios que o esporte traz à saúde, além de ser ótimo como entretenimento. 

Com pouco dinheiro é possível realizar todas as sugestões propostas. Com uma tábua (madeirite), dois caibros, seis parafusos e seis pequenas latas de tinta eu fiz uma mesa de tênis, que alegrou um vilarejo no interior da Bahia por muito tempo.  

Pode até não existir má-fé, pouco importa, mas se faz necessário que as autoridades e a sociedade se comprometam um pouco mais em relação ao esporte. 

Também, essas iniciativas preliminares se encaminhariam automaticamente para a formação de atletas com índices olímpicos. A posição do Brasil em Olimpíadas dá o atestado da falta de investimento. Quando vence muito, ganha duas medalhas de ouro. É desestimulante. Dá vergonha! Isso precisa mudar e depende de todos e muito dos prefeitos e vereadores por estarem mais próximos da população.

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP
    Bacharel em direito  

Pedro Cardoso da Costa é colaborador do blog Barradocordanews.com          

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Governador Flávio Dino abre a 1ª Feira Agritec de Grajaú



Na manhã desta quinta-feira (23), o governador Flávio Dino, secretários e diversas outras autoridades abriram a 1ª Feira Agritec de Grajaú.

Durante a solenidade, destacou a importância da realização desta feira para toda a região com incentivo aos produtores da agricultura familiar. "Escolhemos Grajaú ara receber a Agritec por acreditarmos no potencial produtivo da região", disse. 


O governador Flávio Dino informou também que no próximo mês, a cidade de Grajaú estará recebendo um Restaurante Popular, programa que seu governo e o único na historia a levar para cidades do interior do estado. O Restaurante Popular e Agritec  serão conquistas conjuntas, pois os produtos que serão consumidos no restaurante será adquirido pelos produtores da agricultura familiar.


Na festa de abertura a Agritec Grajaú, o governador Flávio Dino estava acompanhado dos secretários Adelmo Sares (Agricultura), Felipe Camarão (Educação), Claytn Noleto (Infraestrutura), Gerson Pinheiro (Igualdade Racial) e Júlio Mendonça (Presidente da Agerp). Nilberto Castilho e Míria Oliveira, gestores da Aged e Agerp de Barra do Corda, respectivamente. Prefeito Eric Costa (Barra do Corda), vice-prefeitos e vereadores da região. A líder política de Grajaú Simone Limeira, Deoclides Macedo e demais lideranças políticas das regiões central e tocantina também abrilhantaram o evento.


Ao final da solenidade de abertura, Flávio Dino visitou os  stands e as barracas dos feirantes com os mais variados produtos. Foram doados 18 kits do programa Mais Produção.