quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Fornecedora libera Palmeiras para usar uniforme da Chapecoense na rodada final do Brasileiro como homenagem

(Foto: Paulo Whitaker / Reuters)
A Adidas apoiou a manifestação do novo campeão nacional Palmeiras, de homenagear a equipe da Chapecoense na última rodada do Campeonato Brasileiro 2016 contra o Vitória, em Salvador.

O grupo Crefisa/FAM também apoia o Palmeiras em homenagear a equipe catarinense.

Com aval da Crefisa/FAM e aguardando posicionamento oficial da Adidas que sinaliza positivamente, faltará apenas poucos detalhes. 

O Palmeiras enviará solicitação à CBF para poder jogar com a camisa da Chapecoense na rodada final que acontecerá dia 11 de dezembro.

Estamos na torcida!

Justiça suspende fechamento de agências do Banco do Brasil no MA

Decisão foi baseada em uma Ação protocolada pelo o Procon-MA.
Banco Brasil anunciou fechamento de 13 agências no Maranhão.

 

Do G1 MA

Acesso aos terminais de autoatendimento é normal para clientes (Foto: Zeca Soares/G1)
Banco do Brasil anunciou o fechamento de 13 agências no estado do Maranhão  (Foto: Zeca Soares/G1)
A Justiça do Maranhão deferiu nesta terça-feira (29), liminar em Ação Civil Pública (ACP) por meio da qual o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (PROCON-MA) pede a suspensão do fechamento de 13 agências bancárias no Maranhão. A Ação foi protocolada na Vara de Interesses Difusos e Coletivos em São Luís após decisão do Banco do Brasil (BB) de que 402 agências e 31 superintendências teriam suas atividades encerradas, além de 379 agências serem transformadas em postos de atendimento em todo o país.

No Maranhão, o Banco do Brasil anunciou o fechamento de 13 agências, sendo que cinco serão fechadas e outras oito serão transformadas em postos de atendimento.

Na liminar, o juiz titular da Vara, Douglas Martins, determina o pleno funcionamento de todas as atuais agências no Estado, abstendo-se, ainda, de reduzi-las a postos de atendimento.

Ainda segundo a decisão judicial, os bancos deverão apontar quais os serviços deixariam de ser prestados nos postos de atendimento e quais continuarão sendo oferecidos, além de informar quais providências estão sendo ou foram tomadas para não gerar impacto negativo aos consumidores e apresentar o quantitativo de funcionários, atendimentos realizados em 2016 e clientes das agências que serão reestruturadas no estado do Maranhão.

O Procon reconhece diversas afrontas aos direitos dos consumidores maranhenses. O principal deles diz respeito à alteração unilateral do contrato, ou seja, o descumprimento do serviço essencial por parte da instituição bancária, sem qualquer consulta aos correntistas das agências.

Outro fator que levou ao ingresso da ACP é o descaso constante da instituição com os consumidores demonstrado nos relatórios das fiscalizações realizadas pelo Procon. Somente de abril a junho de 2016, o referido banco lucrou exatamente R$ 2,46 bilhões, comprovando que a atual crise por qual passa o país não atingiu as instituições financeiras. O lucro dos bancos, inclusive, supera o lucro de todos os outros setores da economia brasileira juntos.

Segundo o presidente do Procon-MA e diretor dos Procons no Nordeste, Duarte Júnior, o Banco do Brasil age de forma paradoxal aos grandes lucros. “Confiamos na justiça e não aceitaremos retrocesso. Chama-se atenção para o fato de que mesmo com lucros bilionários, o Banco do Brasil prefere fechar agências do que investir na melhoria e humanização do atendimento. Temos pleno conhecimento que o princípio da livre iniciativa é essencial para a ordem econômica, assim como os direitos básicos do consumidor, ambos com previsão expressa no art. 170 da Constituição Federal/1988. Logo, vamos continuar atuando de forma técnica e não admitiremos sobreposição e retrocessos aos direitos e garantias sociais previstos constitucionalmente”, afirmou.

Para o presidente do Sindicato, Eloy Natan, a decisão judicial fortalece a luta contra a reestruturação do Banco do Brasil.

Barra do Corda - Acusado de tentativa de homicídio é condenado a 13 anos de reclusão


Em júri promovido nessa terça-feira (29), pela 1ª vara da comarca de Barra do Corda, o réu Osmar Bezerra da Silva foi condenado a 13 (treze) anos e cinco meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, pela tentativa de homicídio praticada contra Zilmar Alves Pereira. Presidiu o julgamento o juiz Antonio Elias de Queiroga Filho, titular da vara.

De acordo com a acusação, o crime ocorreu no dia 25 de março de 2012, por volta das 18h, em uma residência no bairro Tamarindo (Barra do Corda). Ainda segundo a acusação, na ocasião a vítima, que se encontrava embriagada, conversava com o proprietário da residência, Edivaldo de Alencar de Jesus, testemunha no processo, quando o acusado desferiu vários golpes de facão em Zilmar. 

Em interrogatório, o acusado confessou o crime. Segundo ele, os golpes não se deram pelas costas, como consta da acusação. De acordo com Osmar, o motivo do crime teria sido uma agressão sofrida pela mulher de nome Marinês por parte da vítima, que teria dado um chute na "canela" da mesma e atirado uma cadeira na mulher, ao que Osmar foi reclamar da vítima e aplicado dois golpes de faca na mesma. 

Sentença - "Considerando que o acusado descumpriu as medidas cautelares, dentre as quais o uso do monitoramento eletrônico, entendo por descumpridas as condições da liberdade provisória, o que se agrava ainda mais após esta sentença condenatória, embora recorrível, razão pela qual lhe nego o direito de recorrer em liberdade e decreto-lhe a prisão preventiva, já que preenchidos os requisitos do art. 312, do código de processo penal" consta da sentença.

Prisões sobem de hierarquia - Artigo de Pedro Cardoso da Costa

Até nas prisões de ex-governadores o Rio de Janeiro se tornou pioneiro. Na semana passada, dois cariocas foram presos: Sérgio Cabral, pela Operação Lava-Jato e Anthony Garotinho sob a acusação de compra de voto. 

Antes, ninguém do andar de cima era alcançado pelas leis ou pela justiça. O mensalão foi um divisor de águas entre a impunidade reinante e a punição de gente graúda. Até os ministros do Supremo Tribunal Federal demonstravam perplexidade.  

Num passado não muito distante, vez ou outra era condenado um prefeito ou um vereador de cidadezinhas nos brejões do Brasil.  Tudo acabava em cestas  básicas.

A Lava-Jato, a assombração de Brasília, fez o brasileiro acostumar-se com a prisão de gente grande. Além de fazer escola junto aos demais juízes de primeira instância. Os tribunais superiores só demonstraram ciumeira. Já que não mudaram por iniciativa própria, deveriam ter aprendido a lição. Mas, vale mais o orgulho de seus ministros e o argumento de dizer apenas que não têm processo demais, não têm perfil para esse ou aquele julgamento. Além de coroarem com o argumento de que a demora eterna resulta em julgamentos perfeitos.

Nesse episódio das prisões dos peixes grandes, ficou estranha a coincidência entre a prisão de Garotinho e uma gravação de voz atribuída a ele no Fantástico, em que se mostra satisfeito por seu processo ter ido para uma relatora  do Tribunal Superior Eleitoral.  Quando a gravação foi ao ar, ela já havia determinado a transferência de Anthony Garotinho para um hospital particular – seria um castigo demasiado ele ser tratado numa daquelas pocilgas que deixou para a população quando era governador – e ganhou prisão domiciliar. 

Como o caso ficou mal com essa coincidência entre gravações do beneficiado e o resultado que ele pretendia, o plenário do TSE deveria agilizar o julgamento dessa liminar ou do mérito.  Da mesma forma, deveria ter agido o Supremo Tribunal Federal, com relação ao fatiamento do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. 

Preocupa, apenas, o movimento dos revanchistas, certos de que, a partir de agora, quem aprontou pode pagar.

Nós, sociedade, tínhamos que botar o bloco nas ruas, como em 2013, para evitar que esses assombrados aprovem leis engessadoras para ficarem livres de possíveis acertos com a Justiça. Aqueles do andar de cima que coloquem as barbas de molho.

Assim, se ex-governadores, ministros, senadores já saem como cordeirinhos, daria mais força à mais eficiente Polícia Federal do mundo. 

PS: Quanto mais o governo se explica sobre o caso Geddel Vieira mais se complica. O presidente precisa entender que: ruim sem ele, pior com ele.

 Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP
    Bacharel em direito

Pedro Cardoso da Costa é colaborador do blog Barradocordanews

PROCON/MA consegue liminar para impedir fechamento de agências do Banco do Brasil

A Justiça deferiu, nesta terça-feira (29), liminar em ação civil pública por meio da qual o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (PROCON/MA) requer a suspensão do fechamento de 13 agências bancárias no Maranhão. A ACP foi protocolada na Vara de Interesses Difusos e Coletivos em São Luís após decisão do Banco do Brasil de que 402 agências e 31 superintendências teriam suas atividades encerradas, além de 379 agências serem transformadas em postos de atendimento em todo o país. 


Na liminar, o magistrado titular da Vara, Douglas Martins, determina o pleno funcionamento de todas as atuais agências no Estado do Maranhão, abstendo-se, ainda, de reduzi-las a postos de atendimento. Os bancos deverão apresentar relatório evidenciando a motivação, os impactos econômicos e a adequação das mudanças ao plano de negócios e à estratégia operacional da instituição, conforme art. 16, Resolução nº 4.072, do Banco Central. 

Também deverão apontar quais os serviços deixariam de ser prestados nos postos de atendimento e quais continuarão sendo oferecidos, além de informar quais providências estão sendo ou foram tomadas para não gerar impacto negativo aos consumidores e apresentar o quantitativo de funcionários, atendimentos realizados em 2016 e clientes das agências que serão reestruturadas no Estado do Maranhão. Uma audiência de conciliação também foi marcada para o dia 24 de janeiro, às 10h, quando deverá ser tentado um acordo, conforme dispõe o Código de Processo Civil. 

O Banco ainda pode ser condenado a pagar a quantia de R$ 40.000.000 (quarenta milhões de reais) em danos morais coletivos. Diante desse anúncio de suspensões do serviço, o PROCON reconhece diversas afrontas aos direitos dos consumidores maranhenses. O principal deles diz respeito à alteração unilateral do contrato, ou seja, o descumprimento do serviço essencial por parte da instituição bancária, sem qualquer consulta aos correntistas das agências. Dessa maneira, o fornecedor descumpre o artigo 51 do Código de Defesa do Consumidor, prejudicando os usuários do serviço.
Outro fator que levou ao ingresso da ACP é o descaso constante da instituição com os consumidores demonstrado nos relatórios das fiscalizações realizadas pelo PROCON. Somente de abril a junho de 2016, o referido banco lucrou exatamente R$ 2,46 bilhões, comprovando que a atual crise por qual passa o país não atingiu as instituições financeiras. O lucro dos bancos, inclusive, supera o lucro de todos os outros setores da economia brasileira juntos. 

Contudo, mesmo com sucessivos lucros bilionários a cada trimestre, o serviço bancário não apresenta melhorias efetivas. Diariamente, os consumidores sofrem em filas quilométricas, até mesmo fora das agências, comprovando necessidade de expansão das unidades de atendimento e a contratação de mais bancários.

Atos contraditórios 

Segundo o presidente do Procon/MA e diretor dos Procons Nordeste, Duarte Júnior, o Banco do Brasil age de forma paradoxal aos grandes lucros. “Confiamos na justiça e
não aceitaremos retrocesso. Chama-se atenção para o fato de que mesmo com lucros bilionários, o Banco do Brasil prefere fechar agências do que investir na melhoria e humanização do atendimento. Temos pleno conhecimento que o princípio da livre iniciativa é essencial para a ordem econômica, assim como os direitos básicos do consumidor, ambos com previsão expressa no art. 170 da Constituição Federal/1988. Logo, vamos continuar atuando de forma técnica e não admitiremos sobreposição e retrocessos aos direitos e garantias sociais previstos constitucionalmente”, afirma. 

O Procon/MA reforça o fato de ter intensificado as fiscalizações no ano de 2016, realizando, semanalmente, vistorias nos bancos em todo o Maranhão. Por conta de infrações como demora no atendimento, falta de dinheiro em caixas eletrônicos, entre outras, o Procon multou somente as agências bancárias que serão fechadas, em um total de R$ 472 mil, nos anos de 2015 e 2016. Dentro deste valor, R$ 62 mil foram aplicados a agência de Imperatriz, R$ 10 mil à agência de Açailândia, R$ 390 mil à agência São Luís na Deodoro, mais de R$ 2 mil à agência do Anjo da Guarda e R$ 5 mil à agência do Anil.

Diante do relatório de fiscalização apresentado pelo órgão, é contraditório acreditar que o consumidor maranhense não será afetado com o fechamento de agências, que são inclusive utilizadas para recebimento de benefícios sociais. Como justificativa dessa ação, o Banco do Brasil, informa que a instituição tem objetivo de economizar e investir em atendimentos virtuais, abrindo 255 agências digitais em 2017. 

Entretanto, considerando a realidade maranhense, o investimento apenas em canais digitais, como sugere o banco, não é suficiente para a garantia do atendimento bancário, que deveria ser utilizado como alternativa e não ferramenta principal. Segundo dados fornecidos pela Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel, o Maranhão é o estado da federação com o menor acesso à internet, apenas 9,8% dos domicílios têm acesso ao serviço.

O presidente destaca, ainda, que o fechamento das agências bancárias acarreta mais custos aos consumidores, que terão de arcar com grandes deslocamentos para utilizar o serviço, assim como a economia local será afetada, principalmente nos municípios do interior do estado, onde não existe grande quantidade de agências à disposição e o dinheiro em espécie ainda é mais utilizado que cartões de débito ou crédito. Tais argumentações, aliada ao fato de semanalmente serem aplicadas dezenas de sanções em bancos pelo Procon Maranhão, leva a conclusão de que fechar agências e diminuir o corpo de funcionários não é a solução para o problema no estado.

CONHEÇA OS FELIZARDOS DA 15ª EXTRAÇÃO DO SHOW DE PRÊMIOS BARRA FELIZ

  
Nesta 15ª Extração os premiados foram: Maria Meires de Araújo Alves, João Sousa Pereira, Anderson Rodrigues da Silva, José Antonio do Nascimento e Antonio Alves dos Santos que ganharam prêmios em dinheiro. A moto Bros 160 cc saiu para a Sra. Francisca Ribeiro, nossa  sortuda da rodada!
1º PRÊMIO - MARIA MEIRES DE ARAÚJO ALVES
ENDEREÇO - AVENIDA JK Nº434
BAIRRO - SÍTIO DOS INGLESES
Nº DA CARTELA: 10478-76
BARRA DO CORDA - MA                                               
VENDEDOR -ANJO

2º PRÊMIO - JOÃO SOUSA PEREIRA
ENDEREÇO - RUA TEÓFILO LOPES FONSECA Nº16
BAIRRO - ARATICUM
CARTELA: 15996-48
BARRA DO CORDA - MA                                              
VENDEDORA- RAIANE DA SILVA GONÇALVES 

3º PRÊMIO - ANDERSON RODRIGUES DA SILVA
ENDEREÇO - AVENIDA LULU RODRIGUES
BAIRRO - ALTAMIRA
CARTELA: 08876-56
BARRA DO CORDA - MA                                              
VENDEDOR- CARLITO

3º PRÊMIO - JOSÉ ANTONIO DO NASCIMENTO
ENDEREÇO - RUA 4
BAIRRO - PIQUIZINHO
CARTELA: 01921-61
CIDADE - BARRA DO CORDA - MA      
VENDEDOR - ADJEARLES

4º PRÊMIO - ANTONIO ALVES DOS SANTOS
ENDEREÇO - RESIDENCIAL LANDIM
CARTELA: 07859-92
CIDADE - BARRA DO CORDA - MA      
VENDEDORA- DIANA

5º PRÊMIO - FRANCISCA RIBEIRO
ENDEREÇO - VILA MARIANO AVENIDA PRINCIPAL
CARTELA: 13360-46
CIDADE - BARRA DO CORDA - MA      
VENDEDOR - REINALDO

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Se recuperando de AVC aos 80, fundador da Chapecoense vê 'fim de sonho'

Alvadir Pelisser (d): 'Tive de vender muita rifa para pagar salário de jogador no início'
Alvadir Pelisser (d): 'Tive de vender muita rifa para pagar salário de jogador no início'
Luis Barrucho
Da BBC Brasil em Londres 
Foto: Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu
 

Ainda se recuperando de um AVC que sofreu em janeiro, um dos fundadores da Chapecoense, Alvadir Pelisser, acordou na manhã desta terça-feira com outra notícia que "mudou sua vida".

"Essa tragédia acaba com o sonho de todo mundo. Foi tanto trabalho... vendi muita rifa para sustentar o clube logo no início. Éramos uma família. Estou em choque e muito emocionado", diz ele, com voz embargada, por telefone à BBC Brasil.

"A vida nos prega cada peça... Ainda estou me recuperando do derrame que sofri quando acordei com essa notícia. É muito triste. Não sei nem o que falar", acrescenta.

Na madrugada desta terça-feira, um avião com a equipe da Chapecoense sofreu um acidente em uma área montanhosa de difícil acesso, a 50 km de Medellín, na Colômbia.

Havia 81 pessoas a bordo, dos quais 72 passageiros e 8 tripulantes. Vinte e dois eram jornalistas. Relatos indicam que o avião teria sofrido uma pane elétrica.

Segundo os mais recentes relatos de autoridades, há 76 mortos e cinco sobreviventes. Cerca de 150 socorristas estão envolvidos no trabalho de resgate das vítimas.

O clube estava a caminho de Medellín, na Colômbia, para jogar pela primeira vez uma final da Copa Sul-Americana.

A partida, que seria realizada na quarta-feira contra o Atletico Nacional, da Colômbia, foi suspensa pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) devido ao acidente.

Por causa de seu estado de saúde, Pelisser anda afastado da rotina do clube que ajudou a fundar em maio de 1973.

Não vai mais ao estádio e limita-se a escutar os jogos pelo rádio. Mas fala com saudosismo dos desafios que teve de enfrentar antes de conseguir inserir a Chapecoense no panteão dos grandes times brasileiros.

"Tive de vender muita rifa para pagar salário de jogador. No início, ninguém acreditava em nós. Éramos idealistas. E conseguimos chegar longe", diz ele.

Desde que subiu para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro, em 2013, o time vivia anos de glória.

Na atual temporada, a equipe está em 9º lugar, à frente de times tradicionais, como São Paulo, Fluminense e Cruzeiro. Também disputou dois torneios continentais (2015 e 2016) e chegou a cinco das últimas dez finais do Campeonato Catarinense.

'Cheio de entusiasmo'

Pelisser recorda um dos momentos mais marcantes do clube: a vitória sobre o rival Avaí na final do Campeonato Catarinense de 1977.

"Não tínhamos nem campo de futebol direito. Jogávamos em Xaxim (cidade próxima a Chapecó)", relembra.

"Quando olho para trás, fico orgulhoso do que fizemos. Éramos um clube pequeno e jogava um futebol praticamente amador. Com o tempo, ficou cheio de vida, cheio de entusiasmo", acrescenta.

Pelisser conta que a Chapecoense nasceu debaixo de uma árvore na Avenida Central de Chapecó, quando ele e outro amigo, Lotário Immich, decidiram propor a fusão de dois times antigos, Atlético Chapecó e Independente, e montar um novo clube.

O encontro ocorreu em frente a uma loja de confecções de Pelisser, que na época dirigia o Independente.

"A Chapecoense deixou sua marca entre os grandes clubes brasileiros. É um orgulhos para nós, para a nossa cidade e para o Brasil", finaliza.

Uma das entrevistas mais recentes concedidas por Pelisser à imprensa brasileira foi ao jornalista Laion Espíndula, do Globo Esporte, que estava no voo.

Mãe de Ananias passa mal ao saber de tragédia

Casa da família de Ananias, no Residencial das Rosas, em São José de Ribamar
Casa da família do jogador Ananias, no Residencial das Rosas, em São José de Ribamar
A mãe do jogador Ananias foi hospitalizada por duas vezes, na manhã desta terça-feira (29), depois que soube da morte do filho por conta da queba do avião que transportava a delegação da Chapecoense para a Colômbia.
Depois das 10h, a mãe de Ananias retornou à residência onde foi amparada por parentes e amigos. Um tio do jogador diz que os parentes esperam um comunicado oficial do clube para tratar com a esposa do atleta, que mora em Chapecó-SC com o filho do casal, sobre velório e sepultamento.
Paulo de Aruanda é casado com uma tia do jogador e revelou que a família tomou conhecimento do acidente por um telefonema.
– O acidente foi pela madrugada e nós recebemos uma ligação dizendo que tinha acontecido isso com o avião da Chapecoense. Na hora, fui buscar mais informações. E nossa esperança era que ele nem tivesse embarcado. Agora, nossa tristeza do país. Por isso, nos solidarizamos com as demais famílias que perderam pessoas queridas também – explicou.
A família residia na Cidade Operária, em São Luís, mas depois mudou para São José de Ribamar, cidade que fica na Região Metropolitana de São Luís. Na casa, parentes e amigos se reuniram neste momento de dor profunda.
Nascido na capital maranhense, Ananias tinha 27 anos. A morte dele foi confirmada pelas autoridades colombianas, na madrugada desta terça-feira (29). O avião transportava a delegação da Chapecoense-SC para Medelín, na Colômbia, para o primeiro jogo da final da Copa Sul-America, nesta quarta-feira (30), contra o colombiano Atlético Nacional. O jogo foi cancelado pela Conmebol.
Diego Renan, que jogou em 2016 pelo Moto Club, disse que ‘o coração sangra por essas perdas’, fazendo referência ao amigo Ananias e as demais vítimas da tragédia.
– Sem palavras para descrever esse momento inacreditável. O coração sangra por essas perdas. Meu irmão e amigo de infância, Ananias, você faz parte da minha história. Meu Deus dê o sustento e o conforto a todos os familiares – disse o jogador que esteve na casa da família na manhã desta terça-feira, no bairro da Cidade Operária, em São Luís.
Ananias nunca jogou em um time do Maranhão. Logo cedo saiu do estado e se formou nas categorias de base do Bahia. Durante esse período conheceu outro maranhense, que também estava fazendo sua base fora do Maranhão, Paulo Sérgio à época jogava pelo Internacional-RS.
Por Zeca Soares

Médico confirma morte do goleiro Danilo

Médico Guillermo Molina confirma morte de Danilo (Foto: Reprodução SporTV)
Médico Guillermo Molina confirma morte de Danilo (Foto: Reprodução SporTV)
O diretor da clínica San Juan de Dios de la Sierra, na Colômbia, que recebeu parte dos sobreviventes do acidente com o voo que transportava a delegação da Chapecoense, jornalistas e dirigentes para Medellín, na madrugada desta terça-feira, disse que a morte do goleiro Danilo foi confirmada após ele ter sido resgatado com vida. Guillermo Molina informou ter sido avisado do óbito do jogador pelo Hospital San Vicente, para onde também foi levado o goleiro Jackson Follmann, que teve de amputar uma das pernas. Molina destacou, no entanto, que Follmann e outros quatro sobreviventes seguem internados: o zagueiro Neto, o lateral Alan Ruschel, o jornalista Rafael Henzel e a comissária de bordo Jimena Suárez. 

- Dos seis sobreviventes da tragédia, nossa clínica recebeu três pacientes. A clínica Sommer recebeu uma auxiliar de voo, que está bem, de nome Jimena. O Hospital San Vicente, de Rio Negro, recebeu Jackson e Danilo. Segundo informações do hospital, Danilo faleceu. Jackson, entendi que lhe tiveram que amputar um membro inferior – disse. 
 
Molina afirmou que a clinica San Juan recebeu o zagueiro Neto, o lateral esquerdo Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel. Segundo ele, todos estão em estado estável, apesar de terem dado entrada em estado severo de traumas.  

- Entre as 2h30 e 3h30 da manhã, chegaram vivos Rafael Henzel, que é um jornalista local de Chapecó, e o jogador Alan Ruschel. Os dois chegaram não com consciência total, mas não muito mal no geral. Henzel entrou com um problema respiratório severo, com fraturas múltiplas de costelas, lesão no corpo, em pele. Ele se estabilizou, passou por cirurgia e se encontra na unidade intensiva se recuperando no pós-operatório (...) Neto chegou às 6h45 da manhã em um estado muito severo, com compromisso céfalo-craniano, de tórax e abdominal, com fraturas abertas de membros inferiores. O paciente foi entubado, recebeu respirador, passou pelo processo de equilíbrio hemodinâmico, raio-x. Neste momento se encontra em cirurgias com todos os procedimentos para garantir sua vida.
De acordo com Molina, o lateral Ruschel sofreu uma lesão na décima vértebra da coluna e está sob procedimento para que possa se recuperar sem perder o movimento dos membros inferiores.

- Alan chegou com uma fratura de tíbia distal de membro inferior, com compromisso abdominal e fratura da vértebra dorsal D-10. Passou por cirurgia, porque tinha feridas no corpo. Com a tomografia que evidenciou a fratura, se considerou pertinente fazer uma ressonância magnética, e entubado, em condições estáveis, foi remetido a uma clínica em Rio Negro, para fazer a ressonância e procedimento de neurocirurgia, com imobilização para que não fique com sequelas e invalidez dos membros inferiores. 

Globo

Maradona lamenta mortes e diz: 'Desde hoje sou torcedor da Chapecoense'

 
Reprodução/Facebook  
Post de Maradona no Facebook

Diego Maradona usou o seu perfil no Facebook para lamentar a morte dos jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes da Chapecoense em acidente aéreo e afirmou que a partir de agora vai torcer pela equipe catarinense.

"Meu pêsame a todos os familiares da equipe Chapecoense, do Brasil, e de todas as pessoas que faleceram no trágico acidente de avião, na Colômbia. Lamentavelmente estes rapazes, que vinham abrindo seus caminhos com força no futebol tomaram o avião errado. Desde hoje, sou torcedor da Chapecoense", escreveu.

O jogador também postou uma foto da equipe em seus post na rede social.

Lionel Messi também usou o Facebook para uma mensagem de condolência.

"Meu mais sentido pêsame para todas as famílias, amigos e torcedores do plantel da Chapecoense. #ForçaChape", escreveu o argentino.

Antes do treino desta terça-feira, os jogadores do Barcelona fizeram um minuto de silêncio em homenagem aos mortos.


Reprodução/Facebook
  

UOL

Atlético Nacional cede título para Chapecoense após queda de avião, diz TV

Mais de 70 pessoas morreram no acidente com o avião que levava o time do Chapecoense para disputar a primeira partida da final


O time colombiano Atlético Nacional divulgou na manhã desta terça-feira (29) que cederá o título da Copa Sul-Americana para o time da Chapecoense. A informação foi divulgada pelo canal de televisão da Colômbia "Teleantioquia". 

Mais de 70 pessoas morreram no acidente com o avião que levava o time do Capecoense para disputar a primeira partida da final da competição. A próxima seria em Santa Catarina. 

Pelo Twitter, o  rival do clube brasileiro na decisão, prestou solidariedade. "O  Nacional lamenta profundamente, se solidariza com a Chapecoense pelo ocorrido e aguarda informações das autoridades", afirmaram. 

Oficialmente, a Conmebol, que organiza o campeonado, decidiu adiar ao máximo todas as decisões sobre o futuro esportivo da competição. A entidade suspendeu a final, que seria disputada entre Chapecoense e o Atlético Nacional de Medellín, e só volta a tratar do tema no dia 21 de dezembro. 

Chapecoense 

O time do Chapecoense foi fundado em 1973. O mais recente título do time foi este ano quando venceram o Campeonato Catarinense. Eles também venceram o campeonato em 1977, 1996, 2007 e 2011.O time também foi vice-campeão no campeonato catarinense em 1978, 1991, 1995, 2009 e 2013.  No seu portifólio de título o Chape, como também é conhecido, conquistou a Taça Santa Catarina (1979 e 2014) e a Copa Santa Catarina (2006). 

O time também foi vice-campeão da série B em 2013, quando garantiu o acesso para a elite do futebol brasileiro. A disputa da copa Sul-Americana seria a primeira final internacional do time. A cidade de Chapecó decretou luto de 30 dias. Todas as festas de fim de ano foram canceladas.

Correio24horas