domingo, 29 de novembro de 2015

Polícia Federal confirma legalidade das licitações na gestão Marcos Pacheco

Foto-1-Governo-aprova-seletivo-público-da-saúde-com-7.902-vagas-para-cadastro-de-reserva-e1448057490402
As licitações na gestão Marcos Pacheco ocorreram de acordo com o que prevê a lei

Em uma tentativa de envolver a atual gestão da Secretaria de Saúde do Maranhão (SES) nos escândalos, que resultaram na operação “Operação Sermão aos Peixes”, pela Polícia Federal (PF), a mídia ligada ao indicado como mentor dos crimes, o ex-secretário de Saúde Ricardo Murad, cunhado da então governadora Roseana Sarney, tenta deturpar informações contidas nos relatórios da investigação.

No relatório da Polícia Federal, em poder de alguns profissionais da imprensa, verifica-se que a operação “Sermão dos Peixes”, que apurou e constatou o desvio de R$ 1,2 bilhão na SES, na gestão Ricardo Murad, em nenhum momento investigou o governo Flávio Dino.

Ao contrário do que tenta passar os representantes do que restou do grupo Sarney, ao monitorar Ricardo Murad, a PF descobriu que as licitações na gestão Marcos Pacheco ocorreram exatamente de acordo com o que prevê a lei, sem direcionamento. Ou seja, fica claro a legalidade dos processos.

Mas na ânsia de confundir a opinião pública e jogar nuvem de fumaça na investigação, setores da mídia sarneysista se encarregaram de divulgar apenas um trecho do relatório onde nas escutas alguém garante que o Instituto Cidadania e Natureza (ICN) ficaria com as administrações dos hospitais Carlos Macieira e Tarquinho Lopes.

No entanto, no mesmo relatório, a Polícia ratifica que os dois hospitais de referência não ficaram com o ICN, conforme foi dito pelos investigados em seus diálogos. A PF também investigou e constatou que aquilo que foi dito nas gravações de que o Instituto ficaria com estes hospitais de referência, não se concretizou.

Djalma Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário