quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Justiça Federal condena indígena Uirauchene a 14 anos de prisão


Uirauchene 'acorrentado'
no plenário da Assembleia
O juiz federal José Magno Linhares, da 2ª Vara da Justiça Federal no Maranhão, condenou Uirauchene Alves Soares a 14 anos de prisão por extorsão mediante sequestro, pena a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, em junho de 2004, o réu, acompanhado de indígenas, seqüestrou dois servidores da FUNASA e reteve o veículo utilizado por eles, alegando uma dívida de 76 mil reais que a instituição (FUNASA) teria com ele. Segundo depoimento das vítimas, o denunciado afirmou que só os libertaria após a quitação da dívida.

Os servidores afirmaram ter ficado em poder do seqüestrador por oito dias e só foram liberados após negociações com intervenção do Ministério Público Federal. O veículo só foi liberado meses depois.

O Juiz José Magno Linhares determinou que fosse expedido o mandado de prisão, entretanto o réu ainda pode recorrer da sentença em liberdade.

Uirauchene ficou conhecido quando liderou um protesto de indígenas na Assembleia Legislativa do Maranhão, no mês de agosto, para cobrar do Governo do Estado o pagamento de uma dívida irregular de R$ 800 mil à empresa de sua esposa. O protesto foi estimulado pelos deputados oposicionistas Andrea Murad, Sousa Neto, Adriano Sarney e Wellington do Curso.

Uirauchene ao lado do deputado Sousa Neto 

Gilberto Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário