quarta-feira, 8 de maio de 2019

Artigo do secretário Felipe Camarão: A disposição para avançar

Resultado de imagem para felipe camarão

  • Artigo do secretário de Educação do Maranhão, Felipe Camarão

O Plano Mais IDEB redimensionou a educação do Maranhão, sobretudo, na reversão dos baixos indicadores. Além de melhorar a aprendizagem, o plano criado pelo governo Flávio Dino fez com que Maranhão saltasse de 2,8 (ano 2013) para 3,4 em 2017 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) do Ministério da Educação, que avalia a qualidade das redes de ensino e escolas públicas. Assim, graças ao resultado das ações de formação dos professores e gestores, acompanhamento pedagógico, simulados e aulões focados na aprendizagem dos estudantes, o plano ganhou robustez e, agora, virou Programa.
Neste ano, o Programa Mais IDEB envolve mais de 80 mil estudantes matriculados nos terceirões dos diversos Centros de Ensino das 19 Unidades Regionais de Educação do Maranhão com ações diversas que vão desde aulas, simulados e o acompanhamento do desempenho dos estudantes. Cabe ressaltar que a melhoria do IDEB só é possível com uma política de educação séria, com metas de rendimento, que resultem em melhoria da aprendizagem.
É inegável que há muitos desafios na educação do Maranhão, alguns até históricos, mas o trabalho para superá-los é laborioso. Neste início de ano enfrentamos problemas relacionados ao pagamento de terceirizados das escolas, os quais já foram solucionados com responsabilidade e transparência. Também estamos trabalhando firmemente para zerar a carência de professores na rede com medidas administrativas, como o retorno de docentes efetivos que estavam fora das salas de aulas e o mapeamento de pessoal docente de maneira criteriosa em cada regional.
Precisamos vencer um fenômeno histórico, que é o déficit de docentes, mesmo o Maranhão tendo a proporção de 1 professor para cada grupo de 13 alunos na rede (considerando que há 350 mil para mais de 24 mil professores). Uma realidade bem distinta do vizinho estado Ceará, que possui um total de 12.521 professores e 423.978 alunos, ou seja, um professor para quase 34 estudantes e ocupa, atualmente, o topo do ranking nacional no quesito melhor indicador.
Outro desafio que estamos superando na educação do Maranhão diz respeito à infraestrutura das escolas, dantes em condições precárias e estampadas em vexatórias manchetes de veículos nacionais. Ainda não chegamos em toda a rede física escolar, mas cerca de 70% das escolas já passaram por reformas, revitalizações e até construções em municípios onde não havia sequer prédio próprio do Estado, sem contar as escolas novas em substituição a estruturas inadequadas. Neste ano, temos 72 em execução, algumas já serão entregues nos próximos dias.
Para o Governo do Maranhão, a educação tem a primazia e representa um vetor de desenvolvimento, de justiça social e de formação cidadã, tal qual definiu o filósofo e jornalista, Antonio Gramsci, ao destacar que a “tendência democrática de escola não pode consistir apenas em que um operário manual se torne qualificado, mas em que cada cidadão possa se tornar governante”.
É por isso que nunca se viu, na história deste Estado, tantos investimentos em educação realizados pelo mesmo governo. E o Programa Mais IDEB demonstra esse compromisso, baseado na inclusão social, respeito à diversidade, na formação integral, gestão escolar democrática e a igualdade de oportunidades para todos os estudantes maranhenses.
Quero conclamar toda a comunidade escolar da rede estadual para engajar-se nos aulões, que já iniciaram na Regional de São Luís e chegarão às 18 regionais; no acompanhamento do rendimento de sua escola, bem como a dedicação e empenho de sempre dos nossos mestres e a disposição dos gestores escolares em todas as atividades pedagógicas do Mais IDEB.
Tenho absoluta certeza de que somos uma rede pública de ensino forte e venceremos juntos todos os desafios, avançando ainda mais no IDEB 2019.
“Todos os homens do mundo na medida em que se unem entre si em sociedade, trabalham, lutam e melhoram a si mesmos.” Gramsci.
Avante!
Felipe Costa Camarão
Professor
Secretário de Estado da Educação
Membro da Academia Ludovicense de Letras e Sócio do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário