segunda-feira, 11 de maio de 2015

Governo anuncia criação de rede de educação profissional no MA

A educação tem sido tratada como prioridade pelo governador Flávio Dino. Além de investimento na estrutura das escolas e na valorização dos professores, o governador Flávio Dino já anunciou a construção de uma rede de educação profissional e tecnológica para o Maranhão. Já em implantação, a rede funcionará em três níveis de educação, garantindo oportunidade e capacitação aos maranhenses.
 
Os três níveis de educação da rede serão voltados para o ensino vocacional, ensino técnico e ensino tecnológico de nível superior, agregando às vocações econômicas do estado, mão de obra capacitada. “Não há investimento mais importante no nosso governo que a educação. Isso não é mera retórica, é fato”, frisou o governador Flávio Dino.

Sobre o planejamento do Estado em garantir que os maranhenses sejam capacitados e tenham oportunidades, o secretário de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré falou sobre as perspectivas de um Maranhão mais justo e igual.

“É indispensável para o desenvolvimento que haja uma formação na base tecnológica e também profissional para que os maranhenses possam ter oportunidade, possam ter uma perspectiva de vida mais digna, uma vez que eles estarão preparados para se inserir no desenvolvimento econômico, social, cultural de maneira mais igualitária. As prioridades do governo Flávio Dino são aqueles que mais precisam e os jovens, que estão chegando e que tem enorme potencial para contribuir com o desenvolvimento do Maranhão”, pontuou o secretário de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré.

Para capacitar os maranhenses, o governo irá construir três Centros de Vocação Tecnológica (CVTs). Esses novos centros se somarão ao único existente no Maranhão até agora, o Estaleiro Escola, em São Luís, voltados para o ofício de construção de embarcações.

Os três novos centros serão construídos em municípios que fazem parte do Plano de Ação ‘Mais IDH’, ou seja, municípios maranhenses com os piores índices de desenvolvimento humano. Os cursos terão duração média de três meses, com carga-horária que variam entre 100 e 150 horas e respeitarão a vocação econômica da região.

Para facilitar o acesso ao mercado de trabalho, jovens que estão cursando o ensino médio ou que já terminaram essa fase dos estudos terão acesso a cursos técnicos em 23 Institutos de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema).

“Vamos sair de zero para 23 escolas de ensino médio em tempo integral com formação profissional, nos padrões da antiga escola técnica federal. Temos a rede de institutos federais hoje nos municípios do Maranhão, normalmente nas grandes cidades, agora vamos entrar nas cidades médias”, explicou o governador Flávio Dino. As aulas nos Iemas já terão início no próximo ano.

Os Iemas serão instalados em Bacabeira, Balsas, Carutapera, Chapadinha, Coelho Neto, Colinas, Coroatá, Cururupu, Dom Pedro, Estreito, Imperatriz, Matões, Paço do Lumiar, Pindaré-Mirim, Presidente Dutra, Santa Helena, Santa Luzia, São José de Ribamar, São Luís, São Mateus, São Vicente Ferrer, Tutóia e Vitória do Mearim. Professores e servidores serão capacitados para o novo modelo e os alunos passarão por um momento de acolhida, em que estudantes de outros institutos estaduais darão instruções sobre como se adaptar à rotina.

O governo do Estado está contando com a parceria do Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação (ICE) na implantação do Iemas. O instituto foi responsável pelas implantações bem sucedidas de centros de educação integral em Pernambuco e no Ceará, além de outros estados brasileiros.

Posteriormente, os Iemas também oferecerão, além dos cursos técnicos, os cursos tecnológicos em nível superior, como mais uma opção de educação de qualidade para a população do Maranhão. Os Institutos formarão mão de obra qualificada para atender as necessidades do estado.

Mais tecnologia
 
Para reforçar a educação tecnológica, o governo do Estado também está pleiteando um campus do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) para atender não só o Maranhão, mas toda a região Nordeste.

Com a perspectiva de melhorar os indicadores sociais, o governo do Estado tem investido em conhecimento, pesquisa e acesso à internet e desenvolvimento tecnológico. O foco dos investimentos está na educação de alta qualidade e reposicionamento do Maranhão como estado propulsor de tecnologia,a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e de outros investimentos.

Estaleiro Escola
 
O governo do Estado, por meio do Centro de Vocações Tecnológicas do Estaleiro-Escola, abriu 200 vagas para oito cursos de capacitação em diversas áreas. Marcenaria, construção de embarcações artesanais, velejador, veleria, música, desenho livre, receptivo para o turismo e educação ambiental, cada um com 25 vagas.

A aula inaugural está marcada para esta segunda-feira (11). Os cursos são gratuitos e tem duração de três meses. Todas as aulas serão ministradas no próprio estaleiro, por profissionais e educadores capacitados

Nenhum comentário:

Postar um comentário