terça-feira, 26 de maio de 2015

Governo Flávio Dino investe R$ 10 milhões do Fumacop para construção de casas em municípios do ‘Mais IDH’

Com recursos próprios, o governo Flávio Dino garante moradia com dignidade para 350 famílias cadastradas em Projetos de Habitação Rural. Muito mais que construir casas de alvenaria para quem sempre olhou para o teto de taipa e paredes de adobe, o governo Flávio Dino acredita que todas as famílias maranhenses merecem viver com dignidade.
E esse é um sonho antigo de milhares de famílias maranhenses, sobretudo da zona rural e dos municípios marcados por baixos Índices de Desenvolvimento Humano que já está se tornando realidade.

O governador Flávio Dino, através da Secretaria das Cidades (Secid) juntamente com o Comitê Gestor do Programa ‘Mais IDH’ já está colocando em prática o programa de Habitação Rural no Maranhão. São R$ 10,15 milhões investidos tanto na obra física quanto em trabalho social.

“Precisamos de políticas específicas para que os maranhenses vivam a plenitude de direitos. Por isso, estamos investindo, inicialmente, nos 30 municípios com piores IDH e reforçando as ações do Plano de Ações ‘Mais IDH’. Nesse programa vamos reforçar e requalificar a casa das famílias carentes para que possam viver melhor”, disse o governador Flávio Dino.

Nesta primeira etapa serão contemplados povoados dos municípios de Marajá do Sena; Santana do Maranhão; Belágua e Cajari. Todos com baixos índices de desenvolvimento humano e integrantes do Programa ‘Mais IDH’. As habitações serão 100% financiadas com recursos oriundos do Fundo Maranhense de Combate a Pobreza (FUMACOP).

O governo Flávio Dino avança na construção de 350 casas, sendo 50 a mais da meta inicial para os 100 dias de governo, num período de retração de programas habitacionais federais do Ministério das Cidades.
 
Social

Muito mais que construir moradias com recursos próprios, os projetos habitacionais rurais integram uma equipe multidisciplinar do Comitê Gestor do Programa ‘Mais IDH’ que realizou diagnósticos sociais e de engenharia para identificar as famílias que serão atendidas pelo programa e suas reais necessidades.

As habitações possuem dois quartos, sala, área de serviço e uma particularidade: banheiro com portas que abrem para o lado de fora do imóvel, alteração em relação ao projeto inicial que atende uma solicitação dos futuros moradores cadastrados pela Secid.

Além disso, todas as unidades residenciais estão dentro das normas capazes de atender portadores de necessidades especiais e idosos e contarão com abastecimento de água e sistema de esgoto.

Os moradores cadastrados também já estão recebendo várias capacitações na área de geração de renda, mobilização comunitária, orçamento e planejamento familiar e educação ambiental e a Secid está avaliando a proximidade das casas com escolas e postos de saúde.

Muito mais que substituir casas de taipa por alvenaria, o governo Flávio Dino entende que é preciso garantir que o trabalhador da zona rural viva com dignidade. A construção de casas objetivareduzir o déficit habitacional e melhorar as condições sanitárias com impacto na saúde e na geração de trabalho e renda.

Na primeira fase, que teve início em março, haverá construção de 300 unidades habitacionais na zona rural de Marajá do Sena, Belágua e Santana do Maranhão. Na segunda fase, 3 mil unidades habitacionais serão construídas nos 27 municípios restantes (iniciam em dezembro de 2015). Pela terceira fase, 5 mil unidades habitacionais urbanas serão construídas nas sedes dos 30 municípios. 

Mais informações
 
350 unidades habitacionais contratadas, sendo 100 em Marajá do Sena; 100 em Santana do Maranhão; 96 em Belágua e 54 em Cajari. Todas 100% financiadas com recursos próprios oriundos do Fundo Maranhense de Combate a Pobreza (FUMACOP).

Um comentário: