terça-feira, 15 de abril de 2014

Raimundo Cutrim culpa a governadora por crise na Segurança Pública

O deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) afirmou, na manhã desta quarta-feira (16), que a governadora Roseana Sarney é culpada pelo agravamento da crise no sistema de segurança pública do Estado. “A governadora cansou, desistiu e não quer mais nada da responsabilidade com o povo que a elegeu. Ela simplesmente abandonou o Sistema de Segurança Pública”, afirmou o deputado.

Ele observou que, cada vez mais, está ficando crítica a situação do sistema de segurança pública, com o alarmante aumento da taxa de homicídios em todas as regiões do Estado. “Somente aqui na Grande São Luís, só na terça-feira, ontem, foram cinco homicídios. É um número muito elevado, além de vários assaltos a veículos. Então, a situação é cada vez mais difícil”, exclamou.

Cutrim citou reportagens publicadas na imprensa apontando o aumento de homicídios no Sistema Penitenciário do Estado, somente nestes primeiros meses de 2014.

“A situação do Sistema Penitenciário é muito grave no nosso estado. O governo do Estado decretou estado de emergência por 180 dias, prazo que terminou dia 10, mas que não pode ser prorrogado, não tem como. Então como é que vão ficar essas obras se, porventura, forem iniciadas, que deve ter sido sem licitação, e como é que vai ficar a situação para que possa ser dada continuidade?”, questionou.

Raimundo Cutrim também criticou a governadora Roseana dizendo que o governo, através de negociação feita pelo senador João Alberto, celebrou um acordo com bombeiros e policiais militares, para que terminassem a greve realizada recentemente, e até agora o acordo não foi cumprido.

“A situação que hoje nós vivemos, aqui no Estado do Maranhão, é de uma insegurança jurídica muito grande. O governo não cumpre os seus acordos, a governadora abandonou o Estado ao ‘Deus dará’ e entregou para o secretário de Saúde o Sistema de Segurança Pública. Então a situação é muito grave. O Sistema Penitenciário praticamente já não existe. A situação é cada dia pior e a governadora praticou um crime de genocídio por omissão. Ano passado, foram 60 homicídios na Penitenciária e a governadora olhando tudo de braços cruzados, os homicídios em São Luís crescendo cada vez mais. E a governadora está de braços cruzados sendo conivente com todos esses desmandos em nosso Estado”, ressaltou Cutrim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário