quarta-feira, 23 de agosto de 2017

LAVA JATO! Lobão é citado por delegado federal durante entrevista em Curitiba

Senador Edison Lobão
Senador Edison Lobão
A situação do ex-ministro e senador maranhense Edison Lobão (PMDB) está se afunilando. A investigação contra o senador na Lava Jato vai ganhando cada vez mais força.

Lobão foi acusado por operadores do esquema de corrupção na Petrobras de ter recebido parte da propina paga nas negociações para contratação da empresa norte-americana Sargeant Marine.

A operação que a Polícia Federal cumpriu nesta quarta, com mandados de busca e apreensão em Brasília, São Paulo e Bahia como parte das investigações do esquema criminoso na Petrobras, atingiu Edison Lobão.

O ex-ministro foi citado, durante coletiva à imprensa em Curitiba, pelo delegado federal Felipe Pace, que trabalha nas investigações da nova etapa da Lava Jato.

Segundo o delegado, Edison Lobão seria um dos beneficiários de pagamento ilegal ao lado do ex-deputado pelo PT Cândido Vaccarezza, que foi preso pela PF na semana passada acusado de receber cerca de 500 mil dólares de propina por intermediar a contratação da Sargeant Marine pela Petrobras.

Delegado federal Felipe Pace
Delegado federal Felipe Pace
O ex-deputado, no entanto, foi solto na noite de terça-feira devido a questões de saúde, sob fiança de 1,5 milhão de reais.
Em depoimento à Polícia Federal, os operadores de propinas Jorge Luz e Bruno Luz, pai e filho, revelaram pagamentos a um representante de Lobão. Segundo eles, os repasses eram feitos a Murilo Barbosa Sobrinho, que é ligado a Lobão.

“O agente político que teria sido acomodado ao grupo pode ser citado, até porque foi citado pelos operadores, seria o senador Edison Lobão. Foi acomodada uma parte dos valores que eram recebidos da comissão pelos contratos da Sargeant Marine para o senador, mas isso foi dito pelos operadores, isso já está em processo sigiloso e contra isso não foram tomadas medidas nenhuma, aqui em Primeiro Grau”, disse o delegado.

O advogado do senador maranhense, Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, disse por telefone que Edison Lobão não conhece os operadores que o citaram e nunca ouviu sequer falar na empresa Sargeant Marine. “Essa é mais uma delação feita sem qualquer fundamento”, disse o advogado. 

Será?

Luís Pablo

Nenhum comentário:

Postar um comentário