sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Prefeito Ribamar Alves continua preso; Parecer da Procuradoria Geral de Justiça é contrário ao relaxamento da prisão



A defesa do prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves, continua tentando tirá-lo da cadeia, mas parece que não vai encontrar facilidade.

Um pedido de relaxamento da prisão do prefeito recebeu parecer contrário da Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão na tarde desta quinta-feira (4). Com isso, está mantida a prisão preventiva determinada pela Justiça. A PGJ sugeriu, portanto,  que o pedido de revogação de prisão seja negado pelo Tribunal de Justiça.

O pedido de revogação da prisão de Ribamar Alves havia sido protocolado na manhã da segunda-feira (1º) pelo advogado Ronaldo Ribeiro. O causídico defende que não houve estupro, mas sim uma relação sexual consensual, não houve flagrante e que Alves não é reincidente, pois fora condenado por contravenção penal, que não seria crime.
 
Alves é acusado de estuprar uma jovem estudante e vendedora de livros, de 18 anos.  O prefeito está preso desde sexta-feira (29), no Presídio São Luís I, em Pedrinhas.
Em depoimento à polícia, a estudante de direito afirmou que manteve relações sexuais com o prefeito, mesmo contra sua vontade, em um motel de Santa Inês. Em depoimento à polícia, a vítima disse que foi seduzida com uma proposta de uma venda de R$ 70 mil em livros para o município. Com essa atividade, a jovem pretende custear a faculdade de Direito.
 
A estudante disse, ainda, que foi levada ao motel contra sua vontade. No caminho, dentro do carro, o prefeito teria colocado o pênis para fora, forçando-a a pegá-lo com as mãos. Diante da recusa, Alves teria falado grosso, em tom ameaçador. Uma vez no motel, ainda pediu para que ele não lhe tirasse a roupa, mas não foi atendida, não reagindo por temer o prefeito.
 
Em 2013, Ribamar Alves foi acusado de ter assediado a juíza de Santa Inês, Larissa Tupinambá Castro, sendo que ela chegou a dar voz de prisão ao prefeito, pois ele teria tentado beijá-la.
 
A prefeitura de Santa Inês continua acéfala, sem que o vice possa assumir o comando do município. Para isso, a Câmara teria que determinar o afastamento do prefeito Ribamar Alves.
 
Gilberto Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário