domingo, 8 de abril de 2018

Centenas de Escolas Dignas se espalham por todas as regiões do Maranhão

Escolas Dignas têm chegado a todas as regiões do Maranhão. (Foto: Divulgação)
Na última semana, duas Escolas Dignas foram entregues no Maranhão. Nos últimos meses, foram dezenas. Nos últimos três anos, foram centenas. É um ritmo inédito na história do Maranhão, o que resultou no maior programa de construção e recuperação de colégios públicos já visto no Estado.

Desde 2015, já foram construídas, reconstruídas e reformadas mais de 700 escolas em todas as regiões do Maranhão pelo Governo do Estado.

Muitas delas antes eram apenas barracos de taipa improvisados, que funcionavam sem nenhuma estrutura adequada. Em lugar delas, foram construídas escolas totalmente novas, do teto ao piso, com ar condicionado e conforto.

Luciane Oliveira dos Santos com seus três filhos matriculados em Parnarama. (Foto: Nael Reis)

No Leste

O povoado São José do Nena, em Parnarama, foi um dos que viveram essa transformação. Até o programa do Governo do Maranhão chegar à cidade, os estudantes não sabiam como era uma escola de verdade. As crianças dividiam as salas improvisadas com animais.

“A escola antiga era de palha, os cachorros dormiam dentro, era tudo esburacado. Era de barro, nem piso era. Era um forno, um entrava e outro saía”, conta Luciane Oliveira dos Santos, que tem três filhos matriculados na nova Escola Municipal Nossa Senhora de Lourdes.

“É muito gratificante receber uma escola de qualidade. Na antiga escola não tinha banheiro, cantina ou pátio para as crianças brincarem. E nesta aqui nós temos”, diz Selma Barbosa, que tem um filho na nova escola.

Região Central

Em Tuntum, a chegada da Escola Digna representou uma virada na vida da professora Luiza Sousa. Ela nunca havia tido a oportunidade de ensinar num local adequado.

“Eu estou há 24 anos nessa área e nunca tinha trabalhado num prédio, só em salinha emprestada. Até debaixo de árvores já dei aula”, diz a professora, que também é gestora da escola, no povoado Placa Violão. Luiza conta que as dificuldades apareciam quase diariamente: “Às vezes, tinha marimbondo dentro da sala, tinha que sair. E hoje é um sonho realizado”.

No Sul
Antes e Depois da Escola Digna em Barreirinhas. (Foto: Divulgação)

O programa Escola Digna também chegou a um dos colégios públicos pioneiros e mais simbólicos do Estado: a escola Sertão Maranhense, em Carolina. O prédio foi totalmente reformado. A unidade foi construída nos anos 1940 e, antes desta reforma, a última havia sido na década de 1980, porém paliativa.

“Esta obra representa uma revolução na história da educação de Carolina e toda a região”, diz a professora Maria dos Reis.

Grande São Luís

As escolas já recuperadas na Região Metropolitana transformaram a rotina dos alunos. “A reforma mudou tudo aqui. O ambiente está mais agradável e confortável para meu filho. Ele tem se desenvolvido muito, agradeço demais por essa reforma e pela valorização tão esperada de nossos filhos e do ensino estadual”, conta Luciana Fonte Santos, mãe de um dos alunos do Centro de Ensino de Educação Especial Padre João Mohana, localizado no bairro Vinhais, em São Luís.

Região dos Lençóis

A 65 quilômetros da sede de Barreirinhas, o povoado Passagem do Gado, de difícil acesso, agora tem uma Escola Digna. “Era um barracão, as crianças sentavam em banquinhos, até que uma senhora alugou a casa para receber os alunos”, conta Maria Ferreira dos Santos, que tem filhos no colégio.

“A gente via escolas sendo entregues em outros lugares e pensava: será se algum dia vai acontecer uma coisa dessa no nosso povoado? E aconteceu”, comemora Maria.

Baixada Maranhense

Domingas Brita, moradora do povoado Capinzal, e os filhos diante da nova escola. (Foto: Divulgação)
Os alunos do povoado Capinzal, em Turilândia, costumavam dividir a atenção entre a professora e o teto da sala da escola improvisada onde estudavam. Era medo que o teto caísse, por causa das más condições da escola. Mas isso ficou para trás com a entrega da Escola Digna Municipal São Jorge.

Desde então, os estudantes podem prestar atenção apenas na aula. “Meus filhos não vão mais ficar olhando para o caderno e para cima, preocupados com o teto. Agora eles vão ficar olhando só para a professora e para o caderno, anotando o que ela está falando”, conta Domingas do Livramento Brita, moradora do povoado.

Região Tocantina

“Eu estudava na escola do município, mas passava aqui todos os dias e via a triste realidade, como era precária e muito ruim essa escola. Eu pensava: eu não quero estudar nessa escola. Mas, quando ela começou a ser reformada, eu me matriculei. E agora, sou aluno de uma Escola Digna. Eu sinto orgulho em dizer que faço parte dessa história”.

É assim que Douglas Marques resume a mudança com a recuperação total do Centro de Ensino Francisco Alves II, escola da rede estadual de ensino na cidade de Davinópolis, na Região Tocantina.

O programa Escola Digna ainda vai fazer dezenas de entregas nos próximos meses.
Escola reconstruída em Davinópolis. (Foto: Divulgação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário