terça-feira, 24 de abril de 2018

Dentista piauiense acusada de racismo conta bebê já está em liberdade

Após ficar cinco dias presa no presídio Feminino, a dentista Delzuite de Macêdo, 31 anos, presa acusada de racismo contra um bebê em São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí, foi posta em liberdade nesta segunda-feira (23).

O caso de Delzuite Ribeiro de Macêdo ganhou repercussão nacional após a odontóloga escrever comentários racistas em sua rede social e ser indiciada pelo mesmo crime com diferentes vítimas na delegacia da cidade.

O advogado da dentista, Wisner Ribeiro classificou como injusta a prisão da sua cliente e afirmou que não houve crime de racismo, mas que houve injúria racial.

Segundo o gerente de Policiamento do Interior (GPI), delegado Emir Maia, a dentista já foi indiciada pelo crime e agora o inquérito vai seguir para Justiça, enquanto isso ela aguardará em liberdade.

Em seu depoimento para a delegada Cynthia Verena Nascimento, Delzuite disse que não é racista e que está sendo injustiçada. Segundo ela, o objetivo era atingir apenas a vítima, que é a mãe do bebê, e não toda a população negra. 

Antes de ser presa, ao falar com o meionorte.com, Delzuite Ribeiro de Macedo foi  enfática ao dizer que tudo não passava de calúnia e chegou a dizer que solicitaria um advogado no Conselho Regional de Odontologia do Piauí (CRO-PI) para que fossem tomadas as devidas providências sobre as calúnias e difamações contra ela. 

A dentista afirmou ainda que não se considera racista porque seu namorado é "moreno da cor de um chocolate" e disse que se fosse realmente racista não namoraria uma pessoa morena.

Portal Meio Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário