quarta-feira, 18 de abril de 2018

Dentista piauiense acusada de racismo é presa em Teresina

De acordo com o delegado Emir Maia, gerente de policiamento do interior, a dentista foi presa quando tentava fugir para a capital paulista após cometer racismo contra bebê

 

Dentista Delzuite Macêdo.

A dentista piauiense Delzuite Macêdo, natural de São Raimundo Nonato, foi presa na manhã desta terça-feira (17/04), em Teresina. Segundo a Polícia Civil, ela estava no Hotel do SINTE-PI e se preparava para embarcar para São Paulo. Ela é acusada de racismo contra um bebê e contra colegas de profissão na sua cidade natal. 

De acordo com o delegado Emir Maia, gerente de policiamento do interior, a dentista foi presa quando tentava fugir para a capital paulista: "Nós tinhamos a informação de que ela estava escondida em Teresina. Descobrimos então que ela estava hospedada no hotel do SINTE-PI se preparando para embarcar para São Paulo. Diligenciamos na manhã desta terça-feira e conseguimos efetuar a sua prisão dando cumprimento ao mandato de prisão expedido contra ela."

Delzuite Macêdo tem pelo menos oito acusações de injúria racial e racismo. Na última, que decretou a sua prisão, ela é acusada de racismo contra um bebê de um mês e a sua mãe. Na postagem das redes sociais, ela usa frases como “Já vi que você saiu da senzala mas a senzala ainda não saiu de você” [sic]; “Minhas amigas me perguntam se já vi como a filhinha de fulana é feia, e eu só respondo: ‘não me interesso por gente que nunca chegará ao meu tom de pele’ […] não misturo o meu sangue com merda!”.

O crime previsto no artigo 20 da Lei Especial que incrimina conduta discriminatória e de ódio e tem pena de até cinco anos de reclusão em crime inafiançável.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário