quinta-feira, 9 de julho de 2015

Hildo Rocha agride Flávio para ocultar os patrões envolvidos na Lava Jato; PCdoB divulga nota

Por Raimundo Garrone

Hildo Rocha: acusações absurdas para proteger os chefes, Roseana e Lobão

O PC do B-MA lançou nota na tarde desta quarta-feira para esclarecer as absurdas acusações do deputado federal Hildo Rocha (PMDB) sobre o envolvimento do governador Flávio Dino, no esquema de corrupção liderado pelo empresário Ricardo Pessoa, da UTC, na Petrobrás.

Na nota, o partido diz que a grande preocupação do deputado é ocultar as graves denúncias feitas em delação premiada pelo doleiro Alberto Yousseff contra a cúpula do seu grupo político, Roseana Sarney e Edison Lobão, ambos do PMDB e enrolados até o último fio de cabelo com o esquema investigado pela operação Lava Jato.

O PC do B esclarece ainda que as doações realizadas à coligação “Todos pelo Maranhão” foram feitas dentro da mais absoluta legalidade e cumprindo todos os ditames da legislação eleitoral, devidamente registradas e com prestação de contas aprovada pela Justiça.

Leia a nota

Em relação às agressões do deputado Hildo Rocha, filiado ao PMDB e ex-secretário da gestão Roseana Sarney, contra o governador Flávio Dino, o PCdoB-MA tem a informar que:

1 – As doações realizadas à coligação “Todos pelo Maranhão” foram feitas dentro da mais absoluta legalidade e cumprindo todos os ditames da Legislação Eleitoral Brasileira. Todas as doações recebidas pela coligação foram registradas junto à Justiça Eleitoral, que, após análise, aprovou a prestação de contas;

2 – A grande preocupação do membro do grupo liderado pelo ex-senador José Sarney é ocultar as graves acusações feitas pelo doleiro Alberto Yousseff, operadores do desvio de verbas públicas, executivos de empreiteiras e ex-diretores da estatal envolvidos nas investigações da Polícia Federal contra a cúpula de seu grupo político, Roseana Sarney e Edison Lobão. Ambos figuram entre investigados pela Polícia Federal e são alvos de inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal.

3 – Ademais, cabe ressaltar que o referido pagamento de precatório envolvendo Governo do Maranhão e Constran-UTC, alvo das investigações acerca de negociatas realizadas pelo grupo Sarney, foi cancelado no dia 1º de janeiro de 2015 pelo governador Flávio Dino;

4 – Por fim, repudiamos qualquer tentativa de intimidar e cercear o trabalho que o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e o Poder Judiciário desempenham na condução livre de seu trabalho, seja no bojo da Operação Lava Jato, seja em qualquer outra operação.

Márcio Jerry Saraiva Barroso
Presidente Estadual do PCdoB-MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário