segunda-feira, 1 de junho de 2015

A luta por água para todos, artigo do governador Flávio Dino

Por Flávio Dino

Andando pelo Maranhão há tantos anos, uma imagem bem marcante que trago comigo, tanto porque é forte, quanto porque é reincidente, é a dos caminhos percorridos por milhares de maranhenses com latas e baldes d’água na cabeça . São homens, mulheres, crianças que, por total ausência do Poder Público ao longo de décadas, não têm até hoje acesso à água tratada em casa. Essa realidade, porém, não é exclusiva de lugares longínquos. Mesmo em São Luís, grandes prédios precisam contratar carros-pipa para o abastecimento, às vezes todos os dias.

Desde o começo do nosso governo temos feito o máximo para mudar esse quadro. Nestes 5 meses, com muito foco e trabalho da nova equipe gestora e dos funcionários da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), já realizamos reparos e intervenções emergenciais em várias cidades maranhenses. E vamos ampliar cada vez mais a nossa capacidade de dar respostas concretas aos graves problemas de fornecimento de água em diferentes lugares. A partir desta semana, a Caema entregará à população de São Luís e de outras cidades do Maranhão obras que trarão melhorias imediatas ao caótico sistema que nos foi entregue.

Na região central de São Luís, vamos inaugurar seis poços que vão beneficiar pelo menos 35 mil moradores de 40 bairros. Em junho, começarão a funcionar os poços do Bairro de Fátima e Vila Passos; em julho, será a vez da Praça da Misericórdia, Monte Castelo, Parque do Bom Menino e Outeiro da Cruz. Nos bairros adjacentes à Cohab e ao Cohatrac, serão mais 8 poços, alcançando quase 250 mil pessoas, 1/4 da população da capital.

Vamos concluir a reforma parcial do sistema Italuís, porém vamos fazer mais. Para por fim ao histórico rodízio de água na capital, nossa administração vai investir R$ 100 milhões no reforço de vazão do Sistema Italuís. A instalação da elevatória na altura do km 22 da BR 135 vai reforçar o bombeamento de água do sistema, aumentando em 75% o fornecimento de água na Ilha. Ou seja, em vez de meros paliativos, teremos uma solução duradoura.

A Caema hoje age em dezenas de cidades, com destaque à recuperação de 13 sistemas de abastecimento e mais 3 obras de grande porte para melhorar os sistemas de abastecimento em Pinheiro, Tutoia e Chapadinha, reformando-os por completo. No próximo mês, Imperatriz também receberá novos poços. Em dois anos, vamos investir R$ 20 milhões para captação, tratamento e substituição de pontos críticos da rede de distribuição da segunda maior cidade do Estado.

No nosso plano prioritário de melhoria no abastecimento de água também estão as sedes dos municípios incluídos no Plano Mais IDH. Já contratamos os projetos básicos e executivos e, até o fim de 2016, as casas das sedes dos 30 municípios mais pobres terão água tratada. Serão investimentos da ordem de R$ 75 milhões já garantidos em saneamento nessas cidades, que nunca tiveram a verdadeira atenção do Poder Público. E os povoados também serão alcançados, com o uso de recursos do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza, que finalmente está livre de desvios e fraudes.

Como se vê, o Governo do Estado começou em 2015 a executar o maior plano de investimentos em acesso à água desde a construção do sistema Italuís, na década de 1980. Em dois anos, vamos investir mais de R$ 500 milhões em captação, tratamento e distribuição de água em todas as cidades do Maranhão, deixando para trás o abandono quase que completo do saneamento básico observado nas últimas décadas.

Preparamos e estamos executando muitas outras ações para que, ao longo de quatro anos, as maiores injustiças do Maranhão sejam vencidas. Estamos lutando para que a terra que Deus abençoou com água em abundância seja a terra em que a sede de justiça social é saciada. Meu coração pertence a essa causa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário