quinta-feira, 28 de maio de 2020

Aprovado projeto de lei do vereador Gil Lopes que estabelece igrejas e templos religiosos como atividade essencial durante o período da pandemia da Covid-19 em Barra do Corda

Foto: Ivan Silva
Barra do Corda - Durante sessão remota da Câmara Municipal de Barra do Corda realizada na última terça-feira (26), o presidente do legislativo, vereador Gil Lopes apresentou o Projeto de Lei Nº 036/2020, que dispõe sobre o funcionamento de templo religiosos, cultos, missas e/ou reuniões enquanto perdurar a declaração de pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19), pela Organização Mundial de Saúde, emitida em 11 de março de 2020.

Nesse período de pandemia, o parlamentar crê no fortalecimento da fé  para superarmos esse momento difícil. "Temos aqui um projeto de lei muito importante que insere as igrejas como serviço de utilidade pública. Nós barra-cordenses, brasileiros, temos nossas crenças, nossa fé e nossas religiões. Então, é importante que a igreja católica e as igrejas evangélicas estejam abertas, e quanto as medidas de regulamentação das organizações de saúde com certeza as igrejas irão cumprir funcionando com 50% de sua capacidade, com isso, as igrejas estarão abertas. Tivemos uma reunião com 16 pastores da aliança de Barra do Corda. Muitos fieis estão sendo acometidos pelo Coronavírus, mas também pela depressão e precisando espiritualmente está fortalecido", disse. 

A proposição do vereador Gil Lopes foi aprovada por unanimidade.

Sancionado pelo executivo

Aprovado na casa legislativa, o projeto foi entregue na quarta-feira (27) pelo presidente Gil Lopes ao prefeito Eric Costa, que de imediato sancionou a referida lei. Portanto, as igrejas ficam permitidas a realizarem suas importantes e valiosas atividades essenciais nesse período da pandemia.

Um comentário:

  1. Cada um com sua opinião. Pelo menos eu, se estivesse aí não iria congregar agora, até porque, podem até dizer que tudo está nos parâmetros exigidos nas igrejas, mas se tratando de Barra do Corda, onde o índice de infectados de covid por habitantes é um absurdo, e sabendo que não tem UTI, nem médico suficiente para atender a demanda, é um grande risco ajudar aumentar o número de infectados. Até porque o povo (infectado ou não) já anda nas ruas como se estivesse tudo certo

    ResponderExcluir