.

.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

PSB, PDT e PCdoB anunciam bloco de oposição na Câmara; PT está fora

O PSB, o PDT e o PCdoB anunciaram nesta quinta-feira que formarão um bloco na Câmara dos Deputados de oposição ao governo de Jair Bolsonaro.

Os blocos partidários são importantes instrumentos com capacidade de influenciar votações e na composição de comissões da Casas. Eles também têm peso fundamental na eleição do presidente da Câmara.

Segundo a nota, o grupo irá fortalecer “as posições políticas e a ação parlamentar desses partidos que têm identidade histórica e mais aqueles que eventualmente ao bloco queiram se reunir”. Juntos, PSB, PDT e PCdoB, elegeram 69 deputados nas eleições de outubro.

“Reafirmam, assim, que farão oposição ao governo eleito, em conformidade com o resultado e o desejo expresso pelas urnas, na defesa da democracia, dos direitos sociais, dos calores éticos e republicanos, e defenderão ideias e propostas a favor dos interesses do país”, diz nota assinada pelos líderes dos três partidos.

O PT, partido que chegou ao segundo turno da eleição presidencial e elegeu o maior número de deputados federais em outubro, não irá integrar o bloco e pode se ver isolado em 2019.

Desde o início das negociações para a composição do grupo, parlamentares integrantes dos três partidos –principalmente do PDT– afirmavam que os petistas seriam bem-vindos, desde que abrissem mão de serem os protagonistas do bloco de oposição.

Bolsonaro reage

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, reagiu com ironia à oficialização do bloco de oposição.

“Se me apoiassem é que preocuparia o Brasil”, escreveu o futuro presidente em sua conta no Twitter.

Com a frase, Bolsonaro publicou um ícone que representa um polegar fazendo o sinal de “positivo”, ou “joinha”, como o símbolo é chamado nas redes sociais.

Leia nota na íntegra

“O Partido Socialista Brasileiro, o Partido Democrático Trabalhista e o Partido Comunista do Brasil, através dos líderes de suas bancadas na Câmara dos Deputados, anunciam que, na próxima legislatura, comporão um bloco partidário que fortaleça as posições políticas e a ação parlamentar desses partidos que têm identidade histórica e mais aqueles que eventualmente ao bloco queiram se reunir. Reafirmam, assim, que farão oposição ao governo eleito, em conformidade com o resultado e o desejo expresso pelas urnas, da defesa da Democracia, dos direitos sociais, dos valores éticos e republicanos, e defenderão ideias e propostas a favor dos interesses do país”.

André Figueiredo, líder do PDT

Orlando Silva, líder do PCdoB

Tadeu Alencar, líder do PSB

Com informações da Exame

Nenhum comentário:

Postar um comentário