quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Policial se passa por namorada para marcar encontro e matar ex-atleta da seleção brasileira

O atleta jogava hóquei e chegou a integrar a Seleção Brasileira, disputando campeonatos no exterior


© Arquivo pessoal

Ciúme teria sido o motivo por trás da morte do atleta Matheus Garcia Vasconcelos Alves, de 24 anos, assassinado nesta segunda-feira (18) com um tiro na nuca. Câmaras de monitoramento gravaram toda a ação, ocorrida em São Vicente, no litoral paulista, revelando a chegada do policial Jarbas Colferai Neto, de 23 anos, ao local. Segundo a Polícia Militar o atirador teria armado uma emboscada ao se passar pela própria namorada para marcar um encontro com o atleta, já que ambos supostamente mantinham contato.

Câmaras instaladas nos imóveis da rua onde o crime aconteceu, obtidas pelo G1, mostraram Matheus chegando ao local em um carro conduzido por um motorista privado, dos aplicativos de mobilidade urbana. Logo ao descer do carro, foi abordado pelo soldado, que arrancou o celular da sua mão, ordenou que virasse de costas com as mãos na cabeça e que ficasse de joelhos, para então atirar contra o rapaz nessa posição. Após mais de 12 horas de buscas, a gravação foi divulgada e ajudou os investigadores a elucidarem o crime, afastando a primeira hipótese de latrocínio.

Matheus foi encontrado ainda com vida na rua Nicolau Guirão Perez, no Centro da cidade, mas morreu a caminho do Hospital Municipal (Reveja). Ele jogava hóquei e chegou a integrar a Seleção Brasileira, disputando campeonatos no exterior. Pelos anos dedicados ao esporte, ele vai ser lembrado em um troféu, que será criado no Campeonato Brasileiro Sub-20 de Hóquei, previsto para ocorrer em novembro, em Santos.

Jarbas Neto, o atirador, formou-se no Curso Superior de Soldados no ano passado, sendo lotado no 39º Batalhão da Polícia Militar, em São Vicente. "Porém, não exercia atividades operacionais, estando apenas com atribuições do serviço administrativo, por responder a Processo Administrativo Exoneratório, desde o final do ano passado", disse a Polícia Militar ao G1. O policial teve o pedido de prisão temporária concedido pelo Poder Judiciário e foi transferido ao Presídio Romão Gomes, na capital paulista, ainda na noite de terça (19).
NotíciasaoMinuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário