sexta-feira, 29 de abril de 2016

Governo promove rodada de negócios do ‘Maranhão Mais Produtivo’ em São Luís


Representantes da empresa Masan, Técnicos da Seinc, produtores e empresários durante Rodada de Negócio do 'Maranhão Mais Produtivo'. Foto: Karlos Geromy/Secap
Representantes da empresa Masan, Técnicos da Seinc, produtores e empresários durante Rodada de Negócio do ‘Maranhão Mais Produtivo’. Foto: Karlos Geromy/Secap
“Aqui estamos expondo nossos produtos e negociando diretamente com a empresa. Nós nunca havíamos feito a exposição dos nossos produtos em uma ação de Governo e isso abre um mercado a mais”. O relato é de Osias Assunção, que junto com outros produtores, possui plantações de hortaliças na comunidade de Coquilho I, zona rural de São Luís. Ele participou, na quinta-feira (28), da rodada de negócio do Programa ‘Maranhão Mais Produtivo’, acontecida no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís.

A iniciativa, que visa dar oportunidade às micro e pequenas empresas instaladas no Maranhão, ampliando o acesso a novos mercados, é uma ação do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio (Seinc), que reuniu diversos produtores e empresas da região metropolitana de São Luís, e resultou em 55% de negócios fechados.

Na ocasião, a empresa âncora da Rodada, Masan, responsável pelo fornecimento da alimentação dos presídios maranhenses e das unidades do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), pode acompanhar a exposição de vários produtos, como ovos, frango, hortaliças e apresentar suas respectivas demandas.

Foto 6 – Secretário Simplício Araújo e produtores, durante Rodada de Negócio do 'Maranhão Mais Produtivo'. Foto: Karlos Geromy/Secap
O Secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, explica que as rodadas de negócio aquecem o setor produtivo e oportunizam um contato direto entre fornecedor e cliente. “Nossa intenção é valorizar o produtor local, estimulando a produção, abrindo novos mercados, para que assim as pequenas empresas possam atender as demandas de grandes compradores, o que contribui para a expansão dos negócios no Maranhão, e estimula a geração de emprego e renda”, disse.

O representante da Masan, Daniel Castro, disse que a aproximação com o produtor local diminui os custos operacionais da empresa. “Hoje, nosso custo operacional é muito alto, devido os produtos virem de fora. A empresa parabeniza o Estado, junto com os seus parceiros por essa iniciativa, pois vamos ter produtos de qualidade, com custos menores, e consequentemente isso fomenta o comércio local”.

As secretarias de Agricultura de Pesca (Sagrima) e Agricultura e Pesca de São Luís (Semapa), foram parceiras na rodada e contribuíram para o mapeamento de produtores da capital. Além delas, contribuíram a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão (Faema) e apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MA).

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser, a rodada ajuda a fortalecer o trabalho dos agropolos. “Nossos produtores têm muita vontade de crescer e essa determinação, unida com a assistência técnica, informações sobre gestão e oportunidades de comercialização, estão gerando resultados muito positivos aqui na Ilha. Iniciativas como essa rodada de negócios contribuem diretamente para o sucesso dos agropolos”, destacou.

A secretária-adjunta da Semapa, Cristiane Guedelha, ressaltou a ação conjunta entre Estado e Prefeitura, visando fomentar a agricultura local. “Os produtores estão se sentido valorizados, e acreditando que o Governo fazendo esse investimento, eles podem produzir, pois têm condições de vender seus produtos. Para nós, isso é um começo. A expectativa deles é alta e a nossa também. Isso é algo inédito, nós ficamos muitos felizes, pois isso nos fortalece enquanto gestão”.

O presidente da Faema, Raimundo Coêlho, ressalta que a ação só tende a fortalecer o movimento em prol da venda de produtos da agricultura maranhense. “Nessa rodada de negócio a gente percebeu que uma grande empresa que ganhou a licitação do Estado, para o fornecimento de alimentação, está sendo articulada para a compra de produtos dos nossos agricultores da Ilha. São agricultores, empresa, Governo e parceiros, fortalecendo esse movimento, para que esse dinheiro da compra de produtos, possa circular dentro do nosso Estado”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário