segunda-feira, 22 de julho de 2019

Grupo Maratá assina termo de compromisso e anuncia investimentos em Caxias


O trabalho do Secretário Simplício Araújo e equipe da secretaria de Indústria, Comércio e Energia do governo Flávio Dino continuam mostrando que grandes resultados e consolidando mais investimentos para nosso estado. Nesta segunda-feira (22), a Agropecuária Maratá Ltda assinou termo de compromisso com a Seinc para um empreendimento em Santa Luzia e anunciou investimentos para cidade de Caxias.

A empresa, que está investindo R$ 50 milhões em uma unidade de beneficiamento de milho em Santa Luzia, vai gerar mais de 300 empregos diretos e indiretos. As obras já foram finalizadas e foi dado início à fase de de germinação do projeto.

Para Simplício Araújo, o funcionamento do empreendimento,  vai estimular o desenvolvimento de Santa Luzia e região. “Santa Luzia tem vocação natural para o agronegócio e uma indústria desse porte estimula o setor de grãos e toda de uma cadeia produtiva, jusante e montante. Nossos esforços se concentram em atrair mais empreendimentos como esse, capaz de diversificar o desenvolvimento estadual”, frisou.

Para o diretor da empresa, Ricardo Vieira, o projeto vai auxiliar no desenvolvimento regional. “O projeto vai ajudar a alavancar a produção de grãos na região”, sublinhou.

O projeto de Santa Luzia corresponde a uma unidade de processamento de grãos com um fluxo de 300 toneladas/hora de recebimento, uma capacidade instalada de 150 toneladas/hora de secagem e a capacidade de armazenagem fica entre 55 e 60 mil toneladas.

Integram a estrutura da unidade refeitório, escritório, almoxarifado, oficina, posto de abastecimento de veículos. A fazenda que vai receber o projeto possui quase 23 mil hectares e 11 mil hectares de área apta para plantio.

Projeto em Caxias

De acordo com a empresa, em Caxias, será implantando o segundo projeto, onde a área de plantio é maior, compreendendo 50 mil hectares e o início da obra é para uma capacidade inicial de armazenagem de 60 mil toneladas, podendo dobrar futuramente e com o fluxo de recebimento e expedição de grãos de 300 toneladas/hora e de secagem de 180 toneladas. Os recursos iniciais devem ultrapassar a casa de 50 milhões de reais, gerando cerca de 300 empregos diretos e por volta de 500 indiretos.

Além disso, o projeto na cidade se diferencia do primeiro por prever a implantação de uma fábrica de ração animal com capacidade para 3 mil toneladas/mês para atender a região, além de toda a estrutura e quantidade de empregos diretos e indiretos similares ao primeiro projeto, logo em seguida será implantada a fábrica de derivados de milho.

A área onde será instalado o empreendimento já se encontra terraplanada e parte dos equipamentos também já chegaram ao local, a empresa aguardava apenas a assinatura do termo para o anúncio do investimento em Caxias.

“O agronegócio requer, além dos investimentos, mais geração de empregos do que a pecuária e mais negócios, porque o grão tem um valor agregado, volume, faturamento, receita, tem uma cadeia, que são prestadores de serviços, transporte de grãos, a parte de beneficiamento, equipamentos, colheita, plantio, investimentos e tecnologia. Você não só gera emprego, mas gera uma cadeia de negócios”, acrescentou Frank Vieira, diretor da empresa.

Simplício Araújo finalizou mostrando ao Grupo Maratá um verdadeiro mapa de oportunidades para agroindústrias em municípios com alta capacidade para recepção de investimentos como é o caso de Caxias.
 
Blog do Ludwing

Nenhum comentário:

Postar um comentário