terça-feira, 23 de outubro de 2018

Flávio Dino prega consenso na FAMEM e fala de serenidade para a própria sucessão


O governador Flávio Dino mandou pelo menos dois recados a aliados que se  movimentam pelo controle da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), hoje sob o comando do prefeito Cleomar Tema, de Tuntum, e para aqueles que estão se articulando dele já para a sucessão governamental, daqui a três anos e seis meses, quando  tiver que se desincompatibilizar para concorrer ao Senado.
 
Os recados foram emitidos durante seu encontro com a classe política, na noite de segunda-feira (22), numa casa de eventos no Calhau.  O reencontro com as lideranças teve como principal objetivo agradecer ao apoio daqueles que estiveram ao seu lado na caminhada que o levou a ser reeleito em primeiro turno e pedir voto para o presidenciável Antonio Hadade (PT).
 
Participaram prefeitos, vice-prefeitos, deputados federais e estaduais, vereadores e outras lideranças. A respeito da FAMEM, Flávio Dino acrescentou que prefere que haja um entendimento para que a disputa ora originada venha a ser convertida em consenso, uma vez que todos os envolvidos como pretendentes ao cargo são aliados. Nesse ponto, o dirigente da Federação, Cleomar Tema leva vantagem, uma vez que se notabiliza pelo estilo agregador.
 
FÓRMULA 1 
 
O governante maranhense usou de uma retórica popularesca utilizada pelo saudoso Epitácio Cafeteira para falar sobre a sua própria sucessão. Dirigindo-se ao deputado Rogério Cafeteira, ele foi bastante enfático:
 
-Olha deputado,  sei que aqui estão presentes pelo menos seis pretendentes ao cargo de governador. Seu tio, o ex-governador Epitácio Cafeteira, me disse certa vez, que que esse é um caminho que deve ser percorrido com serenidade. Não adiante querer correr como carros de Fórmula 1,porque aí se corre o risco dele capotar e matar seus ocupantes-.
 
Não citou nomes, nem mesmo do seu vice, o ex-deputado Carlos Brandão, que é seu sucessor natural e terá direito a concorrer ao cargo. Brandão tem mostrado ser de extrema confiança do governador, uma vez que concorreu enfrentando risco da inelegibilidade, até que a Justiça Eleitoral lhe deu ganho de causa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário