domingo, 7 de abril de 2013

Movimentos Sociais organizados por um novo Maranhão‏

Na tarde da última sexta(05), dezenas de representantes de Movimentos Sociais do Maranhão se reuniram no salão paroquial da igreja Nossa Senhora dos Remédios para planejar uma mudança estrutural e política capaz de transformar os indicadores sociais do estado e de garantir qualidade de vida ao povo do Maranhão. O presidente da Embratur, Flávio Dino, foi convidado a fazer parte do círculo de debates dos movimentos sociais em busca da superação de antigos problemas socioeconômicos do Maranhão.

Todos os debates e reivindicações apresentaram em seu alicerce o desejo pela alternância de poder no estado. Representantes do Movimento Negro, da Força Sindical, do Movimento Feminista, da Fetaema, entre outros, reivindicaram um projeto de mudança que torne o Maranhão mais justo e desenvolvido, pautado em melhorias sociais para a maior parte da população.

“O que distingue a direita e a esquerda é a forma como encaramos a desigualdade”, declarou Flávio Dino, afirmando ainda que compreender a dimensão do controle social é fundamental para construir o Maranhão do desenvolvimento.

“Existem duas alternativas: naturalizar a desigualdade ou lutar politicamente contra esse cenário em todos os campos em que essa simetria de poder se dar. Para a construção de um novo modelo de desenvolvimento, é preciso priorizar a perspectiva da maioria do povo”, concluiu.

Combate à violência agrária, grilagem de terra, a falta de moradia, de saneamento básico; supressão da violência doméstica; melhoria dos índices educacionais; fomento de ações voltadas a geração de empregos e a construção de políticas públicas voltadas a saúde foram alguns dos objetivos apresentados pelos movimentos sociais que estavam presentes.

Oliveira Frazão, presidente da Força Sindical Nacional, afirmou que essa mobilização dos movimentos sociais na verdade é parte do “aprimoramento do processo democrático”.

O vereador Lisboa, também presente durante as discussões entendeu que “pela primeira vez o Maranhão está verdadeiramente construindo um processo de mudança, e que o diálogo com os movimentos sociais representa a reconstrução de um estado dilacerado por meio século de atraso, de ausência de políticas públicas efetivas, de déficits sociais absurdos que comparam o estado, a níveis estatísticos, segundo o Pnud, ao Haiti”.

A integração das forças dos movimentos sociais representa o ponto de partida para o processo de mudança política e social do Maranhão. O deputado Bira do Pindaré (PT) considera que “o Flávio Dino representa a esperança para todos os maranhenses nesse momento em que o estado precisa encontrar a solução para os principais problemas que afligem a população, como mostram os indicadores sociais. Mas é impossível pensar em qualquer mudança, em qualquer transformação sem mobilizar o exército de pessoas que estão à frente das lutas reais do nosso povo. É inegável que o estado possui muitas demandas, mas todas elas estão sintetizadas em uma única bandeira: a bandeira da esperança, da mudança e da transformação”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário