terça-feira, 25 de julho de 2017

Apoiado por Roseana e Roberto Rocha Governo Temer prepara pacote de maldade contra o servidor

Roseana Sarney e Roberto Rocha defendem pacote de maldade contra os servidores federais
O governo do presidente golpista Michel Temer (PMDB), aliado de José Sarney, Roseana, Roberto Rocha, João Alberto e Lobão, após suprimir direitos adquiridos pelos trabalhadores com a Reforma Trabalhista, prepara agora um novo pacote de maldade, desta vez contra os servidores públicos.

A Meta do Plano de Demissão Voluntária, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meireles, é gerar uma economia de anual de R$ 1 bilhão e para conseguir tal objetivo, o PDV prevê ainda redução de salário e jornada de trabalho, ou seja, quem não sair terá que reduzir o vencimento.

O pacote contra o funcionalismo público federal conta com o apoio integral dos três senadores do Maranhão, todos integrantes da bancada de bajuladores do presidente, acusado em delação premiada de comandar a maior quadrilha do país, mas que depende de liberação do Congresso para ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal, por corrupção.

O Governo, que gastou bilhões na liberação de emendas parlamentares na esperança de se manter no poder, tem o apoio de Roberto Rocha. O senador “Asa de Avião” tem se esforçado para mostrar serviço a Temer e ter como recompensa o apoio do governo à sua candidatura ao Governo do Maranhão em 2018.

O mesmo faz a ex-governadora Roseana, que passou ser assídua frequentadora do Palácio do Planalto e que, a exemplo de Rocha, espera contar com o apoio do Governo Federal em sua provável candidatura ao Governo do Estado ano que vem, quando o grupo Sarney pretende formar um consórcio de candidatos para enfrentar Flávio Dino (PCdoB).

E por conta de ambições pessoais vão investir agora contra os servidores públicos que já sofrem com baixos salários e em pleno momento de turbulência financeira. Existem cerca de 500 trabalhadores da União e o governo, com o apoio de Roseana, Roberto, Lobão, João Alberto e Sarney quer colocar cinco mil no olho da rua.

Caso seja implementada a medida, quem aderir ao PDV perde automaticamente o direito de se aposentar pelas regras do serviço público.

Do Jorge Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário