quarta-feira, 22 de abril de 2020

Médico morre na Bahia após se tratar com hidroxicloroquina por quatro dias

Crédito: Reprodução/ Facebook

IstoÉ - O médico Gilmar Calazans Lima, de 55 anos, morreu na segunda-feira (20) após complicações da Covid-19. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, o profissional estava usando hidroxicloroquina há 4 dias em casa e havia apresentado melhora. No entanto, teve um mal súbito e não resistiu.

Gilmar era hipertenso e diabético. Ele foi levado para a emergência do Hospital da Costa do Cacau, onde trabalhava. Segundo o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, o paciente “foi submetido a manobras de reanimação por 45 min, permanecendo sem estabilizar o ritmo cardíaco, terminando por evoluir para o óbito”.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o médico sentiu os primeiros sintomas da Covid-19 no último dia 10. Na quinta-feira (16), ele deu entrada no hospital, mas como apresentava sintomas leves, Gilmar teve o material para teste coletado e foi orientado a cumprir quarentena em casa.

Após o resultado positivo para o novo coronavírus no sábado (18), o médico passou a fazer uso de uma combinação de hidroxicloroquina e azitromicina que foi receitado pelo Hospital Costa do Cacau.

“Ele obteve acesso a receita emitida por um colega do hospital. A medicação foi dispensada pela farmácia da unidade, irregularmente, haja vista que o protocolo SESAB (Secretaria da Saúde do Estado da Bahia) é exclusivo para internados”, ressaltou o secretário. Segundo Vilas-Boas, uma sindicância foi instaurada para apurar o caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário