segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Itaqui, o porto do Brasil Central


O Porto do Itaqui é um diferencial estratégico do Maranhão e integra o maior complexo portuário em movimentação de carga do país, que tem sido o destino logístico de boa parte da produção do Corredor centro-norte e Brasil Central. São mais de 20 milhões de hectares de área de influência, servidos por rodovias estaduais e federais, a partir da BR-135, e mais de 2 mil quilômetros de ferrovias.

O porto público do Maranhão também se destaca por sua posição geográfica, infraestrutura para armazenagem de grãos e combustíveis, berços para atração de navios que variam de 12 a 19 metros de profundidade e como vetor de desenvolvimento para toda essa região. “Essas condições fazem do Itaqui o canal preferencial para o escoamento da produção e abastecimento da região”, afirma o presidente do Porto do Itaqui, Ted Lago.

Entre os maiores portos públicos brasileiros, o Itaqui foi o que mais cresceu em 2018, segundo dados da Antaq – Agência Nacional de Transporte Aquaviário. Uma tendência que segue em 2019, com 22,5 milhões de toneladas de cargas movimentadas de janeiro até a primeira semana de novembro, batendo o recorde de 2018.

A missão do Porto do Itaqui, no entanto, não é apenas bater recordes, mas desenvolver com sustentabilidade o estado do Maranhão e região por meio das operações portuárias. Missão que vem sendo transformada em ação a partir do casamento entre posição geográfica e articulação institucional com os estados da região Brasil-Central, associado à competitividade gerada pelo programa de investimentos públicos e privados.


De 2015 para cá foram investidos R$ 232 milhões de recursos próprios em obras e serviços de manutenção de berços e vias, instalação de sistemas de segurança portuária e tecnologia. Já o conjunto de investimentos privados abrange novos arrendamentos para terminais de granéis líquidos e outros quatro projetos em andamento (terminais de granéis líquidos, celulose, fertilizante e a segunda fase do Tegram), que juntos somam R$ 1,4 bilhão, gerando emprego e renda.

A presença do Maranhão no Consórcio Brasil Central, desde 2017, demonstra a importância estratégica do Itaqui como porto não só do Maranhão, mas também dos estados do Corredor Centro Norte e Brasil Central.

Nenhum comentário:

Postar um comentário