.

.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Corpo de Padre Quevedo é enterrado em Belo Horizonte

Religioso morreu nesta quarta-feira (9) por complicações cardíacas. Ele ficou conhecido por desmistificar eventos considerados paranormais.

Padre Quevedo morre em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo
Padre Quevedo morre em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo
G1 MG - O corpo de Oscar González Quevedo Bruzan, o Padre Quevedo, foi enterrado nesta quinta-feira (10), em Belo Horizonte. O religioso morreu na quarta (9), por complicações cardíacas, na Casa Irmão Luciano Brandão, no bairro Planalto, onde morava desde 2012.

O sepultamento foi fechado ao público. A cerimônia foi no Bosque da Esperança, bairro Juliana, na Região Norte, em Belo Horizonte.

O velório aconteceu no ginásio da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, onde fica a casa em que morava, no bairro Planalto.
Corpo de Quevedo foi velado em Belo Horizonte — Foto: Alex Araújo/G1
Corpo de Quevedo foi velado em Belo Horizonte — Foto: Alex Araújo/G1
O padre ficou famoso pelo bordão “isso non ecziste”, ao desmistificar eventos considerados paranormais. Na década de 1970, desmascarou o ilusionista Uri Geller, que dizia entortar talheres com a força da mente. 

"Ele foi uma personalidade que teve projeção nos meios de comunicação e usou a parapsicologia como instrumento para esclarecer fenômenos", disse o padre João Augusto MacDowell, de 84 anos, contemporâneo de Quevedo. 

Os dois se conheceram em 1968. De acordo com ele, Quevedo ajudou a compreender a vida, os fenômenos e os acontecimentos. 

O padre jesuíta Mizael Araújo, de 34 anos, foi aluno de Quevedo, em São Paulo, onde fez o curso de parapsicologia, e disse que o religioso dedicou a vida para fazer o bem. 

"Ele só rezava. Era uma pessoa encantadora, calma, tranquila. Foi uma existência dedicada a servir às pessoas". 

Ainda segundo Araújo, Quevedo usava a parapsicologia para combater o charlatanismo. "Parece estranho, mas ele amava o pecador e odiava o pecado", completou.
Padre Quevedo morre aos 88 anos de problemas cardíacos em BH — Foto: Reprodução/JN
Padre Quevedo morre aos 88 anos de problemas cardíacos em BH — Foto: Reprodução/JN
No ano 2000, Padre Quevedo apresentou o quadro “Caçador de Enigmas” no Fantástico, onde desvendava fenômenos da natureza e expor charlatões. 

O religioso investigou casos como o das gêmeas que diziam sentir as mesmas coisas mesmo estando separadas; desmascarou a farsa de uma casa mal-assombrada e comentou casos de premonição envolvendo a queda do Foker da TAM. 

Natural de Madri e naturalizado brasileiro, Padre Quevedo é considerado um dos maiores especialistas do mundo na área de parapsicologia e autor de dezenas de livros, muitos dos quais traduzidos para outras línguas, como "O que é parapsicologia", "A Face Oculta da Mente" e "As Forças Físicas da Mente". Além de parapsicologia, era formado em filosofia, teologia e humanidades clássicas. 

Segundo a Ordem dos Jesuítas, Padre Quevedo ingressou na Companhia de Jesus aos 15 anos. Em 1959, aos 29 anos, chegou ao Brasil e, na década de 1960, naturalizou-se brasileiro.

Ele foi professor universitário de parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal) e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), onde também foi diretor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário