quinta-feira, 7 de junho de 2018

Governo entrega duas Escolas Dignas em Apicum-Açu e eleva autoestima da comunidade

Escola digna Eurico Gaspar Dutra, em Apicum-Açu. (Foto: Divulgação)
Dona Mariana Oliveira Cunha reside há 57 anos no povoado Ponta d’Areia, a 16 km da sede do município de Apicum-Açu. Nesta quinta-feira (7), ela e cerca de 50 famílias do lugarejo receberam do Governo do Estado a escola digna Eurico Gaspar Dutra.

“A gente só contava com um pequeno colégio aqui na frente de casa. E nossos filhos quando chegavam na quinta série tinham que pegar o transporte e sair para outro lugar. Mas agora é bom demais, uma escola desse tamanho, vão ficar todo tempo perto de nós”, contou a senhora, avó de duas crianças que estudarão na escola digna.

“O governador Flávio Dino fez uma opção por melhorar a vida das pessoas. A obra mais estruturante do Governo do Estado está aqui, em Apicum-Açu, a escola digna. São muitas ações em todo o Maranhão. As mais avançadas cidades do mundo têm como prédios mais bonito a escola ou Universidade. Em Ponta d’Areia, o prédio mais bonito agora é a Escola Digna”, destacou Secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

O prefeito de Apicum-Açu, Cláudio Cunha, ressaltou que a maior alegria de um gestor público é entregar uma escola, mais do que qualquer obra e parabenizou o governador Flávio Dino pelo programa Escola Digna. “A maior honra para um gestor público é inaugurar uma escola. Esta escola digna de hoje ficou marcada na história desse povoado, de Apicum-Açu. Cabe a nós agora investir em recursos humanos e merenda de qualidade. Não há em nenhum estado brasileiro um plano tão audacioso de investimentos em educação como esse do governador Flávio Dino”, enfatizou.

“Nunca passou pela minha cabeça de um dia ter um prédio grande como esse aqui no nosso povoado. Foi privilégio receber essa escola digna. A gente agradece muito ao governo por ter mandado essa escola, que vai ser importante para os filhos do povoado”, revelou Jailton Costa, morador do povoado e responsável por cuidar do poço artesiano, também construído pelo Governo do Estado para abastecimento da comunidade. “A escola e o poço trouxe crescimento ‘pra’ nós”, arrematou.

A professora Ailda Lúcia Ferreira, que assumiu há pouco mais de um mês o cargo de docente efetivo na escola, falou da alegria que está sentindo por poder trabalhar na escola digna. “É muito gratificante poder desenvolver minhas atividades em um espaço como esse, que é a escola digna, e oferecer todo o apoio aos nossos alunos. E é sensacional ver essa alegria na nossa comunidade por receber a escola digna”, realçou.

Ensino Médio
Centro de Ensino Amado Joaquim, em Apicum-Açu. (Foto: Divulgação)
Na sede do município, os estudantes do Ensino Médio festejaram a entrega da reforma e ampliação do Centro de Ensino Amado Joaquim, a primeira obra estruturante já vista na escola, após 37 anos de fundação. Além da reforma geral, foram construídas mais três salas de aula, cozinha, biblioteca, pátio, piso e acessibilidade, com rampas e banheiros adaptados.

“Estou lisonjeado com tudo que a gente tem agora, a biblioteca, a sala de informática, e nós, alunos, vamos retribuir de uma maneira positiva, cuidando desse patrimônio”, revelou o estudante Marcos Mendonça.

Já Érica Louzeiro Cunha falou da experiência de estar em uma escola nova. “A infraestrutura tem envolvimento na formação dos alunos, faz a gente querer estudar mais. Antes a escola era pequena, salas superlotadas. Agora temos conforto nas salas, um ambiente agradável, que nos dá ambição para querer estudar”, comentou.

“Parece que estamos no céu. Estou muito feliz hoje, com as salas geladinhas. Quero ser professor de Matemática e a nova escola está me ajudando muito a seguir o caminho que eu quero ‘pro’ futuro”, destacou o estudante Tiago Gatinho.

“Antes não tinha e agora tem espaço pra gente estudar. Nossos computadores não funcionavam, o espaço era muito pequeno. Para quem quer estudar, realmente, esse é um bom lugar. Aqui a gente tem tudo. Quero ser uma historiadora para contar um dia para os meus alunos tudo que a gente vive hoje”, finalizou Camila Ferreira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário