terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Deputados rebatem críticas da oposição ao governo Flávio Dino

Os deputados Rogério Cafeteira (PSC), líder do governo, Othelino Neto (PC do B) e Professor Marco Aurélio (PC do B), vice-líder do governo, defenderam o governador Flávio Dino (PC do B) das críticas feitas pela deputada Andréa Murad (PMDB), na sessão desta segunda-feira (09). “Governo quem faz é governador, não é o secretário. Quem comanda o Maranhão é o governador Flávio Dino. O que há aqui é comando”, afirmaram, respectivamente, os referidos deputados governistas.

Coube ao deputado Rogério Cafeteira iniciar a defesa do governo Flávio Dino das críticas lançadas pela deputada peemedebista ao afirmar que um erro dos últimos governos do Maranhão, tanto em nível estadual como municipal, foi terceirizar o cargo de chefe do Poder Executivo. “Governo onde secretário faz estrada, secretário faz hospital, secretário faz isso e aquilo tem alguma coisa errada”, exemplificou.

O deputado Othelino Neto afirmou que não é admissível que a oposição queira desqualificar o governo de Flávio Dino, que só está começando e está começando muito bem, acrescentando que não existe nepotismo no governo do estado. “Não tem nenhum parente do governador empregado, ou nomeado no governo. E não tem nenhum parente do governador fazendo negócios nem negociatas com o governo do estado do Maranhão”, esclareceu.

Em relação à suposta falta de autonomia do secretário de Estado da Saúde, Marcos Pacheco, aludida pela deputada oposicionista, Othelino disse que o referido auxiliar do governo é reconhecido e respeitado pelo governador Flávio, revelando que sua indicação para o cargo não teve nenhuma ingerência política. “Agora, quem comanda o Maranhão é o governador Flávio Dino. Ele foi eleito pelo povo e os secretários têm que dar satisfação ao governador”, acrescentou.

Por sua vez, o deputado Professor Marco Aurélio se contrapôs ao discurso oposicionista argumentando que, na verdade, o que há no governo é comando e que isso não é minimizar o governo, mas sim justamente ter força, um rumo, um norte, ter execução e não chegar e colocar vários governos paralelos. “O governo Flávio Dino tem metas, dá condições para a execução e cobra resultados. E o governo está funcionando e está funcionando muito bem”, argumentou.

Professor Marco Aurélio, na oportunidade, lembrou que o parlamento tem que ser propositivo e não apenas um espaço para se lançar críticas de remorsos, porque se perdeu força, porque os tempos mudaram, porque o momento político do Maranhão é outro. “Se o governo não está andando melhor é porque deixaram muita conta, mais de um bilhão e cem milhões, inclusive na secretaria de Saúde, cento e oitenta e quatro milhões”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário