sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Juíza de Coroatá mente ao acusar Associação dos Magistrados


Ofício foi recebido na AMMA às 08h05. Nota da entidade foi emitida às 07h20
A juíza de Coroatá que tem relações próximas ao grupo Sarney escondeu do público maranhense o apoio que recebeu da Associação dos Magistrados do Maranhão. Em nota divulgada às 7h20 no site oficial da associação, o juiz Ângelo Santos (presidente dos magistrados) fez uma defesa aberta de Anelise Reginato, depois das críticas que ela vem recebendo pela ligação com o grupo Sarney.

Mas a meritíssima tem dado outra versão à imprensa aliada do grupo Sarney e, uma hora depois da publicação da nota oficial, enviou pedido de desfiliação da AMMA afirmando que não teve apoio que merecia. Ou seja: ela alega que não recebeu apoio, mas sua desfiliação foi pedida mesmo depois da AMMA publicar nota oficial.

As informações trazidas na nota assinada pelo juiz Ângelo Santos também mostram que, desde o primeiro dia em que a juíza de Coroatá foi criticada por jornalistas que descobriram sua ligação estreita com os Sarneys, a Associação atuou de perto para defendê-la, apoiando financeiramente e com a estrutura da associação. A versão é bem diferente do que diz Anelise Reginato.

E mais peças começam a se encaixar. Ao mesmo tempo em que criticou a AMMA, a juíza compartilhou com blogueiros e com deputados sarneysistas seu pedido de desligamento da entidade. Um dos primeiros a se pronunciar foi o deputado Edilazio Junior, que é genro de Nelma Sarney. Demoraram poucos minutos entre o pedido da juíza e a postagem de Edilazio no instagram, em sua defesa. Parece até que foi combinado!
Do Garrone

Nenhum comentário:

Postar um comentário