quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Flávio Dino “mete o dedo na ferida” de Sarney e relembra Caso Reis Pacheco na Mirante

 
Obrigada pela Justiça a entrevistar Flávio Dino, a Rádio Mirante FM, de propriedade da família Sarney, teve que engolir a seco as interpretações do governador sobre “fake news”. Dino ainda meteu o dedo na ferida ao relembrar o famoso Caso Reis Pacheco, mentira inventada pelo senador José Sarney para atingir o ex-governador Epitácio Cafeteira na reta final da campanha eleitoral de 1994.

Cafeteira estava disparado para vencer Roseana Sarney naquela eleição quando Sarney apareceu no Jornal da Manhã, da TV Mirante para afirmar que os maranhenses não poderiam votar num sequestrador, assassino e ocultador de cadáver. Conforme a mentira contada por Sarney, Cafeteira teria sequestrado, assinado e ocultado o cadáver de Raimundo dos Reis Pacheco, um funcionário da Vale que havia se envolvidos num acidente de trânsito no qual faleceu o vereador Hilton Rodrigues, sogro de Cafeteira.

Acontece que o suposto defunto estava vivinho trabalhando no interior do Pará e até gravou para o horário eleitoral da coligação de Cafeteira. A Justiça concedeu o direito de resposta no último programa, mas a Cemar, comandada pelos aliados da oligarquia, se encarregaram de promover um apagão no interior do Maranhão e o somente a população de São Luís tomou conhecimento da primeira fake news da história política do Maranhão.

Ao ser perguntado sobre como as fake news poderiam atrapalhar sua campanha à reeleição, Dino surpreendeu os ouvintes ao relembrar o tenebroso Caso Reis Pacheco.

“Fake news é uma coisa bastante antiga em eleições no Maranhão. Eu lembro do saudoso senador Epitácio Cafeteira que foi vítima de uma notícia conhecida como Caso Reis Pacheco. Ele era oposição na época e acusaram ele de ser envolvido até em assassinato”, disparou o governador.

A fala foi “um tiro no pé” do oligarca José Sarney, apontado como mentor da farsa.
Do Jorge Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário