sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Epidemiologista afirma que não é hora de voltar ás aulas no Maranhão


O médico epidemiologista Antônio Augusto Moura da Silva, professor doutor titular do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), e professor de Epidemiologia do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Ufma, afirmou nesta semana, em vídeo divulgado no seu perfil no Instagram, que ainda não é hora do retorno às aulas no Maranhão, em meio à pandemia da Covid-19. As informações são do Gilberto Léda.
Segundo ele, estudos apontam que pelo menos três critérios devem ser atendidos para que as escolas voltem a receber os alunos presencialmente: que a transmissão do novo coronavírus esteja baixa, que haja capacidade de identificar e bloquear surtos nas escolas e que as escolas estejam adaptadas para o chamado “novo normal”
“Primeiro critério, aqui no Maranhão, ainda não está cumprido. Nós não temos, ainda, transmissão da doença comunitária baixa, quando a taxa de transmissão estiver abaixo de 1. Neste momento, a transmissão está abaixo de 1, mas ela precisa estar abaixo de 1 por um período prolongado de pelo menos um mês”, disse. Quando a transmissão está abaixo de 1, um infectado sozinho não transmite o vírus para outra pessoa.
Segundo o médico, apesar da baixa ocupação de leitos no atual momento, ainda não se pode falar em redução sustentada do número de novos casos. “Os casos estão estabilizados”, disse.
Moura apontou, ainda, que as escolas precisam adaptar suas estruturas e sugeriu o inverso do que se está propondo como forma de retorno: na opinião dele, as aulas deveriam ser retomadas primeiros aos alunos mais jovens, de 0 a 9 anos, pois estes têm “potencial menor de transmissão”.
No Maranhão, a proposta é que sejam reiniciadas as aulas do Ensino Médio primeiro. Depois, gradativamente, vai-se ampliando aos mais novos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário