sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

PM feminina que tentou suicídio passa por dificuldades em hospital em São Luís e pede ajuda de todos

Desde o dia 31 de maio de 2017 que a vida da jovem policial militar do Maranhão, Alexsandra Alvares, 26 anos, virou um verdadeiro inferno, sofrendo agressões, depressão, tentativas de suicídio e, por último, amarrada em um leito no Hospital Nina Rodrigues, sem ter o menor apoio da Instituição a quem ainda pertence.


Tudo começou quando a militar tinha um relacionamento extra-conjugal com o coronel Terra, que a agrediu com socos e pontapés por varias vezes, inclusive fora e dentro do quartel. O superior chegou a ser indiciado e a vítima passou a ser alvo de perseguições. Mas existem também relatos de que ela também teria puxado arma contra ele em algumas ocasiões.

Desgostosa da vida e sofrendo depressão profunda, veio a primeira tentativa de suicídio na sua própria casa, tomando uma cartela de remédio e em seguida a tentativa de enforcamento na sede do quartel da PM, no Calhau. Levada ao Hospital Nina Rodrigues, ficou largada, sem assistência da corporação. No dia 03 deste, cortou os pulsos e foi internada, como mostra a foto abaixo:


Dentro do próprio hospital, novas tentativas de suicídio, com remédios antidepressivos, usando a jaqueta e até com um lençol. Familiares reclamam que Alexsandra deveria estar em um lugar mais adequado, mas não tem condições financeiras para bancar as despesas, remédios tarja preta, seu aluguel de onde mora, além de dívidas contraídas junto ao Banco do Brasil oriundos de empréstimos.

Um grupo e amigos da PM passou a visitar a paciente, o que não vem agradando a direção do Nina Rodrigues e até o aparelho de Alexsandra foi tomado para evitar filmagens que possam expor as condições precárias do hospital.

Ela espera contar com a compreensão e ajuda para enfrentar os problemas e sair dessa situação de sofrimentos. Quem quiser ajudar, basta contribuir na conta abaixo:

BANCO DO BRASIL

Agência: 5665

Conta Poupança: 493201

Variação: 51

Alexssandra Figueiredo Alves

Fonte: Luis Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário